domingo, 31 de janeiro de 2010

Carlos Martins "On fire"!



A jogada e o golaço do Carlos Martins, na vitória de 3-1 do Benfica sobre o Vitória de Guimarães, merecem este post-destaque. Mais logo, tudo sobre a jornada da Liga Portuguesa.

Fotos: AP

Página Inicial

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

O Dia C: Raul Seixas; O Anticristo e Sanguinhal!



Eis que, passadas algumas semanas do último dia C, regresso finalmente em 2010 ao final do primeiro mês.

Sim, foi realmente preciso um mês para conseguir recuperar de uma passagem de ano calminha e tremendamente gourmet.

Há coisas das quais não se recupera assim tão facilmente.






Já que se fala em gourmet, não vejo como não começar esta crónica com deliciosas recomendações vinícolas: de uma região que a mim raramente me consegue conquistar bebi recentemente este fabuloso Sanguinhal. Com uma mistura tremenda das minhas duas castas preferidas (Syrah e Touriga Nacional) e vencedor de um qualquer concurso, é um vinho equilibrado mas com uma raça tremenda, incapaz de nos deixar indiferentes. Ideal para pratos mais requintados ou para uma qualquer degustação gastronómica, recomendo vivamente.

Numa semana em que velhas glórias subiram ao palco da Luz, não há como resgatar uma outra velha glória da minha formação enquanto ser pensante: O brasileiro Raul Seixas é, para mim, verdadeiramente emblemático.

Sem mais explicações, vejam o vídeo e deliciem-se:



De resto, posso-vos confessar uma certa curiosidade pelo mais recente filme do Lars Von Trier O Anticristo com a belíssima filha do Serge Gainsbourg.

Já que se fala em filmes, porque não ver como Clint Eastwood retratou Mandela em mais uma fabulosa interpretação de Morgan Freeman?

Desejo-vos um bom fim de semana, já que eu andarilharei numa verdadeira epopeia imobiliária de que em breve vos darei novas.

Até para a semana, ou assim espero.

Página Inicial

CAN ANGOLA-2010 - Egipto e Gana na final

Festa Egipcía frente à Argélia

As selecções do Egipto e do Gana qualificaram-se ontem para a grande final da 27ª edição do Campeonato Africano das Nações Angola-2010, mercê das suas vitórias sobre Argélia (4-0) e Nigéria (1-0), respectivamente. A decisão do título está marcada para domingo, a partir das 17.00 horas locais (18.00 de Maputo), no Estádio Nacional 11 de Novembro, em Luanda.

Nas partidas das meias-finais, a exacerbada rivalidade entre egípcios e argelinos foi uma vez mais vincada, no entanto, com os “Faraós” a mostrarem-se como a melhor formação nas quatro linhas, mais forte e com uma estrutura táctica a todos os títulos invejável.

O seu triunfo, no Estádio Nacional de Ombaka, em Benguela, começou a desenhar-se aos 39 minutos, quando Hosny, na transformação de uma grande penalidade, abriu o activo. No segundo tempo, e com a Argélia a jogar com menos um elemento, na sequência da expulsão do central Haliche, no lance que ditou o castigo máximo, os egípcios destacaram de forma clara e inequívoca a sua superioridade, elevando a contagem por Zidan, aos 65 minutos, um golo seguido do cartão vermelho exibido a Belahdji, ficando a turma argelina reduzida a nove unidades.

Depois, passou-se a uma fase de completa recreação por parte da equipa de Hassan Shehata, que, inclusive, aproveitou a situação para ir rodando mais jogadores, tendo em atenção a final de domingo. Os suplentes Abdelshafi, aos 80, e Gedo, decorridos 93 minutos, fixaram o resultado final em 4-0, uma goleada que certamente não estava nas previsões de ninguém. Mal comportada, a Argélia ainda viu o seu guarda-redes Chaouchi ser expulso, acabando por disputar os derradeiros minutos com somente oito jogadores.

Um tremendo peso para esta formação mundialista, para gáudio dos egípcios, que assim se vingaram do afastamento da competição a decorrer na África do Sul.

Noutro embate, realizado em Luanda, Gana voltou a fazer aquilo que fez diante de Angola, nos quartos-de-final: marcar aos 21 minutos, através do mesmo Asamoah Gyan, e depois gerir o resultado, perante o incessante bombardeamento da Nigéria. Com a final marcada para domingo, na capital angolana, entre Egipto e Gana, amanhã, em Benguela, disputa-se o desafio para a atribuição do terceiro lugar, colocando frente-a-frente Nigéria e Argélia.

Vídeo

Egipto 4-0 Argélia




Gana 1-0 Nigéria


Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

CAN-2010 - Egipto-Argélia agita Benguela


A policia angolana, mais concretamente a de Benguela, deve por estas alturas estar a preparar um dispositivo de segurança reforçado para o decisivo jogo das meias-finais entre o Egipto e a Argélia do Campeonato Africano das Nações – Angola-2010.

É que depois de uma série de incidentes que aumentaram a rivalidade entre os dois países, aquando da fase de apuramento o Mundial da África do Sul, o desafio entre os egípcios e os argelinos ganhou proporções de alto risco.

Quis o destino, por sorte ou azar, que os dois países da dita “África branca” voltassem a cruzar-se amanhã a partir das 21.30 de Maputo, menos uma hora em Benguela, para a discussão do acesso à final.

Os triunfos nas finais de 2006 e 2008, diante dos colossos Costa do Marfim e Camarões, respectivamente, cimentam o estatuto de favoritos da turma egípcia.

Comandados por Hassan Shehata, apelidado de “Mestre do Nilo”, e que é conhecido pelo seu feitio disciplinador, a maioria da selecção é composta por jogadores que actuam nos principais clubes do país, Zamalek e Al-Ahly. Mohammed Zidan (Borussia Dormund, Alemanha) e Ahmed Hassan (Al-Ahly) são os principais destaques da selecção, principalmente com as ausências por lesão de Amr Zaki (Wigan, Inglaterra) e Mohamed Aboutrika (Al-Ahly).

Zidan, avançado de 28 anos, rápido e tecnicista, foi um dos principais responsáveis pela conquista do último CAN, no Gana, em 2008, diante dos Camarões. Hassan, médio experiente de 35 anos que alinha no Al-Ahly, é o “capitão” da selecção e o jogador com mais internacionalizações (170). É o patrão da equipa, o que pensa todo o jogo dos “Faraós” e ao marcar dois golos aos Camarões nos quartos-de-final notabilizou-se como o principal artilheiro da equipa com quatro golos.

De resto, o Egipto com seis títulos conquistados (número recorde), é o principal candidato a erguer o troféu mais cobiçado de África e tem o demonstrado em Angola na medida em que é a única selecção que soma por vitória todos os jogos realizados (4), um dos quais frente à selecção nacional na fase de grupos.

Mas no meio desse todo poderio, o Egipto tem uma espinha entalada na garganta. Chama-se Argélia, que cometeu a proeza de colocar os bicampeões africanos fora do Mundial.

Apesar de ser uma potência em África, nunca passou da fase de grupos do Campeonato do Mundo e jamais venceu um jogo nessa prova. O Egipto já não marca presença num Mundial desde 1990 e esteve muito perto de carimbar o passaporte para África do Sul, se não tivesse enfrentado uma Argélia tão afoita e determinada a lutar pelos seus intentos.

As “Raposas do Deserto” registaram um 2009 em cheio com o regresso à prova maior do Continente Africano e o badalado apuramento para o Mundial, eliminando como já foi referido o rival Egipto.

Não será fácil repetir o feito de 1990, onde conquistaram o título, mas a Argélia apresenta uma selecção quase equiparada àquela que fez sucesso durante praticamente toda a década de 80, numa altura em que Madjer (figura histórica do FC Porto, nomeadamente após o famoso golo de calcanhar na final da Taça dos Campeões Europeus perante os alemães do Bayern Munique) era um jogador com cartel em todo o planeta.

Mesmo sem contar com nenhum nome do “top” mundial, seria injusto dizer que a Argélia não é uma força a ter em conta na luta pelo ceptro, até porque depois de ter eliminado os galácticos da Costa do Marfim a sua fasquia está em alta.

A nova geração de futebolistas da Argélia é vista como uma espécie de fim da “travessia do deserto”, já que depois de uma década de 80 em grande, foi perdendo força nos últimos 20 anos. Halliche, Yebda e Bouazzou são alguns dos bons executantes das “Raposas do Deserto”.

Ghana - Nigeria, derby de campeoes

Gana e Nigéria já conquistaram por três e duas vezes, respectivamente a maior prova africana de selecções. Por isso, são equipas que jogam sempre com o objectivo de juntar mais um título à sua vitrina. Amanhã
Hoje, a partir das 18.00 horas, esse espírito ganhador fará se sentir dentro das quatro linhas.

A selecção do Gana surgiu neste CAN desfalcada de alguns jogadores nucleares na zona do meio-campo, nomeadamente Appiah, Muntari e Mensah. A equipa ficou mais partida com a lesão da estrela do conjunto Michael Essien. No entanto, a equipa auto-superou-se por força das boas exibições de Gyan Asamoah, autor do golo solitário que deixou pelo caminho a Angola nos quartos-de-final.

A turma ganesa, quatro vezes campeã africana (1963, 65, 78 e 82), vem de uma aspiral ascendente, como comprovam os últimos resultados a nível internacional – esteve, pela primeira vez, num Campeonato do Mundo, em 2006, e conseguiu o terceiro lugar no último CAN –, e tem em Angola a oportunidade de voltar a conquistar o seu quarto título, frente a uma Nigéria que está longe de ser um osso duro de roer.

As “Super Águias” venceram o último título africano de 1994. Um feito que já vai longe. Os nigerianos devem ter saudades dos tempos do Okocha, Amokachi e Ikpeba alguns dos craques que compunham aquela geração de ouro. Actualmente a Nigéria é uma equipa com poucas soluções. Procura formar um conjunto forte e vive (sobrevive) graças à experiência de alguns dos seus jogadores e do virtuosismo de Peter Odemwingie e Obi Mikel. O bilhete para as meias-finais foi arrancado a “ferro”, nos penaltes (5-4), frente à Zâmbia.

A selecção nigeriana ainda não realizou uma exibição convincente que se pudesse dizer que se está perante de um sério candidato ao tiítulo. A prestação mais bem conseguida terá sido (infelizmente) frente a Moçambique, tendo alcançado, até ao momento, a vitória mais volumosa da prova (3-0)

As "Super Águias", eliminadas nos "quartos" em 2008, já não têm a equipa que maravilhou o mundo na década de 90, altura em que, para além da conquista do CAN, a Nigéria alcançou também o ouro olímpico em 96, frente à Argentina. Um conjunto onde pontificavam Amokachi, Jay-Jay Okocha, George Finidi, Ikpeba e um jovem de nome Nwankwo Kanu.

Actualmente, Kanu, com 33 anos, o avançado do Portsmouth é o atleta mais veterano da equipa e tenta conquistar pela primeira vez esta competição. Nos últimos 10 anos, a Nigéria terminou sempre nos lugares cimeiros - medalha de prata em 2000 e bronze em 2002, 2004 e 2006 -, nunca conseguindo atingir o brilhantismo da geração de ouro, de quem Kanu é o único sobrevivente.

No conjunto orientado por Shaibu Amodu, técnico que esteve com a equipa nos Mundiais de 1994, 1998 e 2002 (falharam a qualificação para 2006).

A Nigéria não tem nenhum jogador a actuar no campeonato nacional, todos os convocados alinham em clubes europeus. A “Premier League” (Liga inglesa) é o campeonato que mais jogadores empresta (7).

Jogos das meias finais

18:00 h - Gana-Nigéria (Luanda)
21:30 h - Argélia-Egipto (Benguela)

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


CAN-2010 - Quarteto reparte “artilharia”

FLÁVIO Amado (Angola), Seydou Keita (Mali), Ahmed Hassan e Gedo (ambos do Egipto), todos com quatro golos, lideram a lista dos melhores marcadores do torneio.Mas o angolano e o maliano estão em desvantagem em relação aos egípcios, visto que as suas selecções já foram eliminadas, enquanto o Egipto ainda está em prova e disputa hoje uma das partidas das meias-finais frente à Argélia.

A “vice-artilharia” é constituída por oito atletas, mas apenas Emad Moteab (Egipto), Peter Odemwingie (Nigéria) e Asamoah Gyan (Gana), equipas que se qualificaram para as meias-finais, podem ainda chegar ao almejado troféu. O angolano Manucho Gonçalves e o camaronês Samuel Eto’o são os outros jogadores que aparecem na segunda posição, mas que já estão fora-de-jogo.

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Moçambola - 2010: Uzaras Momed no Atlético Muçulmano da Matola!

Houve uma alteração em relação ao destino do técnico Uzaras Mahomed que até semana passada era dado como certo no FC de Lichinga. Mas pelo que foi possível apurar, junto do técnico, o clube muçulmano foi mais rápido nas negociações e numa operação relâmpago convenceu Uzaras a assinar por uma época, quando tudo indicava que iria dirigir o único clube da província do Niassa no Moçambola.

Segundo Uzaras, a direcção pediu-lhe para que lute pela manutenção. Este é o principal objectivo com o qual o técnico diz estar comprometido. “A direcção pediu-me para formar uma equipa coesa que esteja em condições de lutar pela manutenção. O Atlético perdeu alguns bons jogadores e é preciso tempo para voltar a formar um grupo forte”.

O Atlético Muçulmano viu subir o seu nome nos anais do futebol nacional ao conquistar em 2008 a Taça de Moçambique/mcel, logo na sua primeira época ao mais alto nível, ou seja no Moçambola.

Mas na época passada, a colectividade deixou uma pálida imagem, tendo terminado na 11ª posição e escapando à tangente a despromoção.

O Atlético abriu as “oficinas” ontem, realizando corrida no circuito de manutenção António Repinga para recuperar a condição física.

Quanto aos reforços, ainda não foram avançados os nomes, mas é sabido que Danito Nhampossa, Nelito, Ngoni, Baúte, James e Eboh não farão parte do plantel da próxima época.

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


Egipto afasta Camarões e reencontra a Árgelia nas meias-finais

Egipto marcava aos Camarões e afastava Eto´o

A selecção egípcia apurou-se ontem para as meias-finais do CAN Angola - 2010, ao vencer os Camarões por 3-1 após prolongamento (1-1, ao cabo do tempo regulamentar), em partida disputada no estádio de Ombaka, em Benguela.

Este desfecho coloca o Egipto de novo no caminho da Argélia, nnas meias-finais, marcadas para quinta-feira em Benguela às 20h30 (21 h 30´ de Moçambique).

A outra meia final será disputada em Luanda, entre o Ghana e o Nigéria, que venceu ontem a Zâmbia, em Lubango, por 5-4, na marcação de grandes penalidades.

A Argélia afastou a Cote D´Ivoire e o Ghana, eliminou os anfitriões angolanos, em jogos disputados domingo.

Camarões conquista simpatia do público benguelense
Adeptos e amantes de futebol em Benguela consideraram que a selecção nacional dos Camarões foi a mais tecnicista e simpática para o público, apesar de ter sido eliminada por 1-3, diante do combinado do Egipto, na partida dos quartos-de-final da Taça da África das Nações Orange Angola - 2010.

O técnico da Académica do Lobito, Ernesto Kotele, disse que a selecção dos Camarões, apesar de não ter sido apurada para as meias finais, fez uma boa exibição.

Para si, o combinado de Samuel Eto'o conseguiu galvanizar o público e tornar o espectáculo de futebol numa festa entre o público e os 22 jogadores em campo.

Esta apreciação positiva também foi feita por Wilson Camilo, responsável pelo Campeonato Municipal de Futebol para Professores no Lobito, tendo considerado que os jogadores dos Camarões contaram com a simpatia do público angolano e vice-versa.

A titulo de exemplo, acrescentou, Samuel Eto'o, que mesmo depois da derrota da sua selecção, aceitou dar alguns autógrafos aos adeptos e responder as
inquietações dos jornalistas.

Vídeo

Egipto 3-1 Camarões

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)
Página Inicial


Higuita: Fim de espectáculo!

René Higuita repete a famosa defesa do escorpião durante a partida de Despedida

O excêntrico guarda-redes colombiano René Higuita, de 43 anos, colocou ponto final na sua "loucura" nas balizas (e não só), numa despedida no estádio (Nacional de Medellín) onde tudo começou. Não faltou a famosa defesa de Escorpião e um golo para fechar uma carreira muito, mas mesmo muito badalada!

Fotos: AP

Página Inicial

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

CAN ANGOLA - 2010: Anfitriões ficam pelos quartos-de-final

Gana afasta Angola da CAN 2010

Angola ficou ontem eliminada nos quartos-de-final, do CAN - 2010, ao perder por 0-1 diante do Ghana, no estádio 11 de Novembro, em Luanda.

O tento da vitória foi apontado por Gyan, aos 16 minutos.

Nesta edição, os Palancas Negras, terminaram em primeiro no seu grupo (A), com cinco pontos de um empate a quatro golos com o Mali, uma vitória sobre o Malawi (2-0) e fechou a série com um nulo diante da Argélia.

O Ghana, vai disputar as meias-finais com o vencedor do jogo Zâmbia - Nigéria, marcado para esta segunda-feira, no Lubango às 20h30 (21h30 de Moçambique).

Ontem, disputou outro jogo dos quartos, que pos frente-a-frente as formações da Costa do Marfim e Argélia, na esta última turma saiu vencedora. 2-3, foi o resultado final.

O destaque desta fase recai para o Egipto-Camarões de hoje, quando forem às 17h00(18horas de Moçambique).

Manuel José pede desculpas

O técnico da selecção nacional de futebol, o português Manuel José, pediu desculpas ao povo angolano pelo afastamento dos Palancas Negras da Taça de África das Nações Orange-Angola2010, após derrota, ontem, de 0-1, diante do Ghana, no primeiro desafio dos quartos-de-final.

O treinador, que falava em conferência de imprensa no Estádio Nacinal 11 de Novembro, em Luanda, palco do desafio, disse que o povo angolano foi muito carinhoso com a selecção nacional durante a preparação e na competição.

"Fomos bem acompanhados e acarinhados, por isso, este povo merecia muito mais, mas nesta fase do campeonato deve haver sempre um vencedor para definir as posições finais" – explicou o seleccionador.

Manuel José, entretanto, disse sair de cabeça erguida nesta prova, pelo esforço que os jogadores fizeram durante a primeira fase e neste jogo frente aos ghanenses.

O técnico dos Palancas Negras indicou que o golo madrugador dos Black Stars também terá influenciado negativamente no desempenho dos seus atletas, já que a equipa adversaria fechou-se completamente para impedir o progresso dos angolanos.

"O golo foi um tónico para o Ghana, que aproveitou bem aquela oportunidade e marcou. Criamos mais oportunidades que os nossos opositores, mas eles souberam gerir da melhor forma a vantagem" – reconheceu.

O responsável da equipa técnica angolana realçou ainda que as ocasiões criadas no segundo tempo não foram bem aproveitadas, pelo menos para chegar ao empate. "Faltou-nos sorte para concretizar o nosso sonho que era melhorar o lugar alcançado na edição anterior no Ghana 2008" – salientou.

Quanto ao seu futuro no comando da selecção nacional, disse que o seu contrato termina apenas em Junho. “Cumprimos com o nosso primeiro objectivo que era melhorar a posição anterior. Antes dizia que se Angola não passa-se a primeira fase me demitiria. Mas não o faço porque fizemos o que pretendíamos" – rematou.

Manuel José viajou ontem a noite a Portugal para assistir às exéquias fúnebres do seu pai, que faleceu neste domingo, naquele país europeu aos 94 anos de idade.

Treinador do Ghana estudou jogos de angolana

O treinador principal da selecção do Ghana de futebol, o sérvio Milovan Rejevac, disse ontem, que o resultado positivo de 1-0 e o consequente apuramento para as meias-finais da Taça de África das Nações Orange-Angola2010, foi fruto da leitura feita de todos jogos de Angola.

O técnico afirmou que foram bastante cautelosos neste encontro ao conseguir gerir a magra vantagem de um golo, marcado aos 16 minutos, por Gyan Asamoah.

"O jogo foi muito difícil para todos, não só para os jogadores das duas equipas, mas também pelo magnifico público angolano que soube dignificar o espectáculo, apesar da derrota da sua equipa. Os meus parabéns a este povo e aos atletas das duas partes" – reconheceu.

Milovan, frisou que a selecção de Angola criou muitas dificuldades aos Black Star, devido ao seu futebol aéreo, que complicou, de certa forma, os seus jogadores maioritariamente jovens.

Na segunda-feira, está previsto repouso aos jogadores, para no dia seguinte começar a preparar as meias-finais, diante do vencedor do jogo Zâmbia-Nigeria.

Vídeo

Angola 0-1 Gana




Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


Taça da Liga 2009/2010: Sporting, Porto, Benfica e Académica semi-finalistas

Pela primeira vez desde a criação da Taça da Liga (2007/2008), os três "grandes" portugueses vão marcar presença nas meias-finais, juntamente com a Académica de Coimbra. Certo mesmo, é que vai haver jogo de cartaz e que o Estádio de Alvalade será anfitrião de uma das meias-finais.

O sorteio será puro, mas é a classificação da fase de grupos que decide quem joga em casa (os finalistas decidem-se em apenas com um jogo). O Sporting jogará sempre em casa, e o Porto só não joga no Dragão se calhar com os «leões». O Benfica só não vai a Alvalade ou ao Dragão se calhar com a Académica, que receberia na Luz. A Académica, como foi apurada como melhor segundo classificado, jogará sempre fora de Coimbra. Os jogos das meias-finais estão marcados para 10 de Fevereiro.

Carlos Martins fazia o 0-1

Começando pelo Benfica, campeão em título da Carlsberg Cup, tinha em teoria o Grupo mais forte dos restantes. Uma vitória sobre o Nacional em casa, por 1-0, foi o tónico para os seguintes duelos fora da Luz. Em Guimarães, sob chuva torrencial, assistiu-se a uma espécie de jogo de futebol em que o resultado acabou por ficar num empate a uma bola. Com o Vitória automáticamente fora da corrida, o Rio Ave era o legítimo pretendente a vencer o grupo C, depois da vitória na primeira jornada no Estádio Afonso Henriques, por 1-2, e do empate conseguido no Funchal (1-1) frente ao Nacional. Para este jogo em Vila do Conde, bastava à equipa da casa novo empate frente ao Benfica para assegurar passagem às meias-finais, em virtude da diferença de golos.

Com o melhor onze, tal como tem feito em todos os jogos, o Benfica de Jorge Jesus dominou, mas apenas no segundo tempo houve golos. Primeiro por Carlos Martins num fortissímo remate cruzado, o Rio Ave chegaria ao empate de penálti convertido por Bruno Gama, numa falta discutível de David Luiz. O golo que valeu as 1/2 finais, sairia de um passe de Cardozo para Dí Maria que frente a Mora chutou com êxito.

Belluschi fazia excelente golo no Estoril

No Grupo A, o FC Porto conseguiu terminar em primeiro in-extremis, por beneficiar do facto de não ter sofrido golos, ao contrário da Académica. Os portistas, que rodaram muito o plantel nesta competição, começaram com uma vitória em casa sobre o Leixões, por 1-0, empatando o segundo jogo em Coimbra a zero. Esta noite, no Estoril (Liga de Honra), os canarinhos ainda tinham possibilidades de fazer surpresa e chegar às meias-finais, mas a equipa de Jesualdo Ferreira não o permitiu e graças aos golos de Belluschi 54' (grande golo de livre) e Orlando Sá 78' selaram a vitória, por 0-2. A norte, em Matosinhos a Académica de Coimbra bateu o Leixões, por 0-1 e qualificou-se como o melhor dos segundos dos três grupos da Taça da Liga 2009/2010.

Liedson marcava na Trofa

Por fim, no Grupo B, o Sporting saldou por vitória os três jogos, a última, esta noite no estádio do Trofense (Liga de Honra), por 0-1. Na sequência de um pontapé de canto marcado por Miguel Veloso pelo lado direito, Liedson antecipou-se aos marcadores e, de cabeça, fez o resultado na Trofa. Antes deste jogo, o Sporting venceu o Braga, por 2-1, na primeira jornada, repetindo o mesmo marcador em Leiria.

Vídeos

Rio Ave 1-2 Benfica
Carlos Martins 49'
Bruno Gama 54'
Di María 76'


Estoril 0-2 FC Porto
Belluschi 54'
Orlando Sá 78'


Trofense 0-1 Sporting
Liedson 37'


Sp. Braga 4-1 União de Leiria
Cássio 9'
Rafael Bastos 22'
Peña 38'
Matheus 42'
Paulão 68'


Fotos: AP

Página Inicial

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Egipto recebe Camarões em Ombaka nos quartos-de-final

Ombaka National Stadium onde vai ser jogado o Camarões vs Egipto

A selecção nacional do Egipto, campeã em título, vai defrontar nos quartos-de-final da Taça de África das Nações Orange - Angola 2010, a sua congénere dos Camarões, que quinta-feira se classificou na segunda posição do grupo D, após empate a duas bolas diante da Tunísia.

Os egípcios, primeiros do grupo C, jogarão na condição de anfitriões, uma vez que a partida terá lugar no Estádio de Ombaka, na cidade de Benguela, onde tem estado a realizar os jogos desde que se estreou na prova, a 12 de Janeiro.

Ao conquistar quatro pontos, os mesmos que a Zâmbia (líder da série), a selecção camaronesa foi incapaz de evitar o cruzamento, nos quartos-de-final, com o detentor do troféu e um dos mais sérios candidatos à conquista da 27ª edição, que Angola organiza.

No Estádio de Ombaka, palco da série C durante a fase preliminar, os “faraós somaram apenas vitórias (3 em igual número de jogos), marcaram sete golos e sofreram somente um, conquistando a simpatia do público local que tem afluído em massa ao recinto.

Depois de um mau começo de prova, com derrota de 0-1 frente ao Gabão, os “Leões Indomáveis”, denominação oficial dos Camarões, deram algum “ar da sua graça” na ronda seguinte (3-2 sobre a Zâmbia) e nesta quinta-feira, no Estádio da Tundavala, na cidade do Lubango, quase comprometiam as suas aspirações, pois estiveram sempre a correr por detrás do resultado.

O susto camaronês começou a ser pregado aos 56 segundos, quando o tunisino Chermiti abriu o activo. Samuel Eto’o empatou no primeiro minuto da segunda parte, mas o seu companheiro Chedjou introduziu a bola na própria baliza, aos 63’, aumentando a aflição do técnico Paul le Guen, que sou respirou de alívio no final dos 90 minutos regulamentares, apesar de Nguema ter fixado já aos 64’ o resultado em 2-2.

Em retribuição ao carinho do público benguelense, “Faraós” e “Leões Indomáveis” poderão proporcionar, no próximo dia 25, espectáculo digno de se ver no imponente estádio da cidade das acácias rubras, construído a propósito do CAN2010.

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


CAN ANGOLA-2010: Mart Nooij pode estar de saída para a Nigéria

Mart Nooij

Quarta-feira à noite, em pleno Estádio Nacional da Tundavala, no Lubango, no final do desafio contra a Nigéria e que ditou o afastamento de Moçambique do CAN Angola-2010, o presidente da Federação Moçambicana de Futebol, Faizal Sidat, disse a jornalistas nacionais e estrangeiros que o técnico holandês Mart Nooij não continuará a dirigir os destinos dos “Mambas”, em virtude de não ter conseguido o objectivo de colocar a equipa, pelo menos, nos quartos-de-final.

Ainda segundo Faizal Sidat, tendo em conta que, durante o presente ano, a selecção não terá uma actividade bastante intensa – apenas tomará parte nas eliminatórias do CAN-Interno -, não se justifica a manutenção de um treinador a tempo pleno como Mart Nooij, com um contrato financeiramente muito elevado.

Só que, nos corredores do hotel onde a equipa se encontra alojada, alguns membros da FMF desmentem a saída do “mister”, afirmando que em nenhum momento a Direcção da Federação se reuniu para tomar tal decisão, pelo que o pronunciamento do presidente cabe só e somente a ele. Por outras palavras, mesmo se colocando a hipótese da não renovação com o holandês, até aqui Mart Nooij é o treinador dos “Mambas”.

Uma fonte da Direcção da FMF disse-nos que é deselegante o técnico tomar conhecimento do seu afastamento através de uma entrevista do presidente aos órgãos de comunicação social, uma vez que a Federação ainda não sentou com Mart Nooij para efectuar o balanço desta competição e nem tão pouco para abordar a renovação do seu contrato ou não.

Enquanto isso, a notícia do afastamento do holandês já circula o mundo e tem sido objecto de muitos comentários em Angola, afirmando-se que Mart Nooij conseguiu fazer um belíssimo trabalho em Moçambique, ao apresentar uma selecção altamente competitiva e que, apesar de afastada do CAN, se exibiu de forma deslumbrante perante grandes adversários como Egipto e Nigéria.

Mesmo os jogadores, que leram a notícia a partir de diversos “sites” internacionais, mostraram-se contrariados com a forma pouco cortês como se anunciou a demissão do seu treinador, independentemente das razões que possam ser invocadas pela Federação.

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


Camarões e Zâmbia apurados

Eto´o fez a diferença

Camarões e Zâmbia completaram o quadro dos quartos de final do CAN2010, ao se qualificarem hoje após a disputa da terceira e última jornada do grupo D, disputada em simultâneo nas cidades de Benguela e Lubango.

Com a passagem quinta-feira da selecção camaronesa aos quartos-de-final da Taça de África das Nações Orange-Angola2010, depois de um empate a dois golos frente a Tunísia, confirmou-se o favoritismo das cinco equipas africanas que vão disputar o mundial de futebol, em Junho, na África do Sul.

As outras selecções foram o Ghana, a Argélia, a Côte d'Ivoire e a Nigéria.

Na primeira fase, os Camarões fizeram parte do Grupo D, com sede em Lubango, e foram o segundo classificado com seis pontos, fruto de uma derrota e duas vitórias.

Nos quartos-de-final, os Leões Indomáveis vão defrontar o campeão em título, a selecção do Egipto, dia 25, em Benguela. Será o reeditar da final do CAN2008 no Ghana.

A equipa nacional do Ghana jogou a primeira fase no Grupo B, na província de Cabinda, sendo também a segunda classificada, com três pontos amealhados.

Os Black Stars, do Ghana, estiveram num grupo de três equipas e tiveram uma derrota e uma vitória, posicionando-se em segundo com três pontos. Abrem os quartos-de-final, domingo, dia 24, frente a anfitriã Angola, em Luanda.

A Argélia, na primeira fase, esteve no Grupo A, sediado em Luanda, e foi a segunda classificada com quatro pontos, em razão de uma derrota, uma vitória e um empate.

Dia 24, em Cabinda, a selecção de Ziani e companhia joga contra a Cote d'Ivoire, uma partida de "mundialistas".

Os ivorienses continuam em Cabinda, onde obtiveram quatro pontos, em primeiro lugar, oriundos de um empate e de uma vitória, feitos em duas partidas.

A Nigéria disputou no Grupo B, em Benguela, e obteve seis pontos, fruto de uma derrota e duas vitórias.

Para os quartos-de-final, as Super Águias jogam dia 25, no Lubango, contra a selecção zambiana.

Vídeo

Camarões 2-2 Tunisia


Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

CAN 2010 - Angola recebe Gana nos quartos-de-final

Kali e Rui Marques têm Gana pela frente

É já no domingo que se realizam os primeiros embates dos quartos-de-final do Campeonato Africano das Nações que decorre em Angola. Na primeira meia-final Angola defronta o Gana às 18.00 horas, enquanto a Costa do Marfim enfrenta às 20.30 a Argélia, num desafio entre duas formações que estarão no Mundial a realizar-se em Junho próximo na África do Sul.

A selecção angolana apurou-se para os “quartos” depois de ter se classificado em primeiro lugar no Grupo “A” com cinco pontos, enquanto os ganeses ocuparam a segunda posição no Grupo “B”, que contou com a participação de apenas três equipas, depois da retirada do Togo que viu-se obrigada a desistir devido ao ataque de que foi alvo o seu autocarro quando viajava do Congo-Brazzavile para Angola.

O Gana, que não pode contar com a sua principal “estrela” Michael Essien, a contas com uma lesão no joelho, venceu o Burkina Faso, na segunda e última jornada, por 1-0, garantido o segundo lugar. Na primeira posição ficou a Costa do Marfim que terá pela frente a Argélia, segunda classificada do Grupo “A”.

A lista completa das equipas presentes nos quartos-de-final ficará conhecida hoje no decurso da última jornada do Grupo D com os Camarões a jogar com a Tunísia e o Gabão a esgrimir forças com a Zâmbia.

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


CAN ANGOLA-2010 - Nigéria, 3-Moçambique, 0: No pormenor residiu a diferença

Nigéria termina sonho dos Mambas

Questões iminentemente de pormenor, tais como o pensar e executar rápido, a inteligência e a busca de soluções plausíveis e consentâneas para cada momento, marcaram a diferença e, acima de tudo, o resultado desnivelado verificado neste desafio.

Para já, o receio de um relvado bastante pesado, em virtude das fortes chuvas que continuam a cair na cidade do Lubango, foi imediatamente ultrapassado, quando se constatou que o sistema de drenagem do Estádio Nacional da Tundavala é óptimo e o piso se apresentava perfeitíssimo para a prática de um bom futebol. Entretanto, apesar disso, os artistas entraram comedidos, com muitos toques para o colega mais próximo, não arriscando, portanto, passes longos, de modo a evitar escorregamentos.

Até ao primeiro quarto de hora, os espectadores viveram uma partida extremamente insonsa, sem velocidade e nem tão pouco lances susceptíveis de provocar perigo nas duas balizas. Enquanto os nigerianos optavam por povoar demasiadamente o meio-campo, actuando com cinco jogadores, designadamente Kaita e Etuhu como trincos, Peter Odemwingie, Obi Mikel e Obasi na cobertura do ponta-de-lança Yakubu, os “Mambas” preferiam um futebol lateralizado, como lhes é característico, na tentativa de tirar partido da velocidade de Campira e Genito, de um lado, Paíto e Miro, do outro, enquanto Dominguez, na zona nevrálgica, se encarregava da circulação do esférico.

Ultrapassado o período menos visível da contenda, a turma moçambicana, ousada, logrou assumir os cordelinhos do desafio, com um jogo bem elaborado de trás para frente, ou melhor, até às costas dos avançados, pois, daqui para frente tudo morria sem qualquer perigo para o guarda-redes Enyeama. Nem Tico-Tico nem Dário Monteiro conseguiam segurar o esférico, construir lances vistosos e provocar desequilíbrios. Toda a acção ofensiva pertencia aos meio-campistas, fazendo uso da sua grande capacidade técnica, no entanto, sem ultrapassar a forte barreira criada pela retaguarda nigeriana.

Com Obi Mikel sem grande espaço de manobra face à exemplar marcação de Simão, e Yakubu praticamente sozinho no ataque, as “Super Águias”, bem na rotação da bola na linha intermediária, optaram por remates a longa distância, obrigando Kampango a muitas defesas apertadas. Foi na sequência de uma dessas situações que, praticamente no fecho do primeiro tempo, Odemwingie, livre de marcação por parte de Campira, não desperdiça o espaço para um grande chuto vitorioso. No começo da segunda parte, o mesmo Odemwingie volta a marcar, numa jogada em que os defensores moçambicanos ficam estáticos, reclamando um pretenso “off-side”, permitindo a entrada de Yakubu, pela esquerda, e cruzamento para o golo.

Desalmada, a formação moçambicana foi fazendo o possível. Cedo atirou a toalha ao chão, conformando-se com a ideia de que o sonho dos quartos-de-final se tinha esvaído completamente. A despeito de um e outro remate, tal como Genito e Miro o tinham feito na etapa inicial, estava claro que já não eram os mesmos “Mambas”. A galhardia tinha desaparecido e as esperadas – já que são as mesmas – substituições de Mart Nooij praticamente não trariam nada de novo, pois o “calcanhar de Aquiles” residia no ataque, e jogadores como Josimar, Momed Hagy e Danito Parruque não resolveriam o problema.

Do outro lado da trincheira, os nigerianos se empolgavam e o treinador fez questão de meter duas unidades de grande referência, designadamente Obafemi Martins e Victor Nsofor, com o objectivo de aumentar ainda mais a frente atacante e, paralelamente, lhes conferir uma certa rodagem, já a contar com o desafio dos quartos-de-final, na próxima segunda-feira, no mesmo palco, em Lubango.

Vídeo

Nigéria 3-0 Moçambique




Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

“Mambas” jogam última cartada


A Seleccao Nacional de futebol, Os Mambas, defronta hoje (18:00 horas), em Lubango, a sua congénere da Nigéria, em desafio da terceira e última jornada do Grupo C de apuramento para os quartos-de-final do Campeonato Africano das Nações, que decorre em Angola.

O desafio frente aos nigerianos é de vida ou morte para os” Mambas”, visto que só a vitória pode assegurar a sua transição para a próxima fase.

O empate na primeira jornada ante o Benin (2-2) e a derrota frente ao Egipto (0-2) colocaram o combinado nacional numa situação delicada, sendo que parte para este confronto com as “Super Águias” com apenas um ponto, enquanto o seu adversário soma três, mercê do triunfo sobre o Benin, a uma bola sem resposta.

Por isso exige-se dos pupilos de Mart Nooij um esforço adicional para chegarem à vitória, que seria um marco histórico para os “Mambas”, já que daria pela primeira vez a qualificação de Moçambique para os quartos-de-final.

Confiança é algo que parece não faltar ao grupo moçambicano, a julgar pelas palavras do seleccionador nacional, Mart Nooij, que afirmou após o “desaire” com o Egipto que “é possível vencer a Nigéria”. Contudo, a boa prestação da equipa passa por limar algumas arestas, sobretudo na defesa.

Notou-se nos embates anteriores algum nervosismo e falta de concentração, o que se reflectiu nos dois golos de Dário Khan na própria baliza. Portanto, espera-se que os Mambas entrem em campo com uma atitude mais responsável, para não cometerem os mesmos erros.

Grande novidade é o regresso de Dário Monteiro, que poderá dar um valioso contributo ao conjunto. O ponta-de-lança dos “Mambas” recuperou satisfatoriamente da lesão que o apoquentava desde os primeiros dias do evento. O avançado fez muita falta ao sector mais adiantado e espera-se que esteja em condições de ajudar os “Mambas” a derrotar as “Super Águias”.

Noutro desafio do grupo, o Egipto, já apurado, defronta o Benin. Os beninenses que ocupam a terceira posição com um ponto, os mesmos de Moçambique, ainda sonham com a qualificação para os quartos-de-final, mas para tal estão obrigados a vencer os egípcios.

Ontem, a contar para o grupo B, o Ghana, qualificou-se fruto da sua vitoria diante do Burkina Faso, por uma bola sem resposta.

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


terça-feira, 19 de janeiro de 2010

CAN Angola - 2010: Angola qualificada

Yebda da Argélia passou com Angola aos quartos-de-final

A selecção nacional qualificou-se ontem para os quartos de final do CAN - 2010, como primeiro colocado do grupo A, ao empatar sem golos com a Argélia no estádio 11 de Novembro, em Luanda.

Os argelinos ficaram em segundo superando o Mali que, apesar de vitorioso ante o Malawi,por 3-1, foi superado no sistema de desempate.

Esta é a segunda vez que Angola se qualifica para esta fase da prova, depois do Ghana2008.

Estão também qualificadas as selecções do Egipto (gr. C) e Costa do Marfim (Gr. B).

Gilberto eleito o homem do jogo Angola - Argélia

O médio Gilberto foi considerado pela Confederação Africana de Futebol (CAF), o “Homem do Jogo” Angola-Argélia (0-0), na
partida disputada nesta segunda-feira, no estádio 11 de Novembro, em Luanda.

No final do desafio foi ainda distinguido o jogador “fair play” prémio entregue ao médio argelino Yebda.

Esta é a segunda distinção a um angolano, após o avançado Flávio ter sido eleito o Homem do Jogo, na partida inaugural da Taça de África de Futebol
Orange - Angola - 2010, entre as selecções de Angola e do Mali.

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

CAN ANGOLA-2010: “Mambas” mudam-se para Lubango


De malas e bagagens, os “Mambas” mudam esta manhã da cidade de Benguela para Lubango, capital da província da Huíla, que tem uma população estimada em 2,6 milhões de habitantes e um dima tropical seco e de altitude.

A turma moçambicana realiza quarta-feira o derradeiro desafio da primeira fase do CAN Angola-2010 diante da Nigéria, no Estádio Nacional da Tundavala, com uma capacidade para 20 mil pessoas. Este jogo está marcado para as 17.00 horas locais (18.00 de Maputo), em paralelo com o Benin-Egipto, em Benguela.

Lubango, que já acolheu o Desportivo de Maputo na década de noventa, para uma eliminatória africana com o Ferroviário da Huíla, é sede do Grupo “D”, que aglutina as selecções dos Camarões, Gabão, Tunísia e Zâmbia.

Devido ao seu clima de altitude, as Federações de Moçambique e da Nigéria solicitaram à organização para que as suas equipas viajassem no mesmo dia do jogo – quarta-feira – mas a CAF recusou-se redondamente, alegando que a logística já estava montada e não existiam razões para acomodar tal pedido.

Com o primeiro posto do Grupo “C” já assegurado pelo Egipto, que assim fará o desafio dos quartos-de-final em Benguela, o segundo classificado, a sair do triunvirato Moçambique/Nigéria/Benin, actuará no Lubango. Significa isto que os “Mambas”, que escalam aquela cidade hoje, poderão continuar por lá, caso transitem para a segunda fase. Se não, regressam a Maputo na sexta-feira, dia 22.

Mexer jogador “fair-play”


Mais uma vez, o prémio de Jogador “Fair-Play”, no encontro entre Egipto e Moçambique, foi atribuído a um “mamba”. A distinção coube ao central Mexer, que recebeu da Samsung, patrocinadora deste prémio, um telemóvel.

O primeiro moçambicano laureado com este prémio foi o avançado e capitão Tico-Tico, no desafio contra o Benin.

No sábado, a distinção para Melhor Jogador coube ao egípcio Ahmed Fathi, premiado pela Orange, a empresa patrocinadora deste CAN Angola-2010.

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


Gr.A / Palancas Negras jogam hoje passagem aos quartos-de-final

A selecção nacional de Angola, defronta hoje às 18h00 de Moçambique, a sua congénere da Argélia, em jogo da terceira jornada grupo A, da Taça de África das Nações, em futebol, que vai determinar o apuramento aos quartos-de-final da prova.

Em simultâneo, Mali e Malawi, defrontam-se em Cabinda para o mesmo grupo.

À entrada da última jornada, Angola lidera a série com quatro pontos, de vitória sobre o Malawi (2-0) e um empate com o Mali (4-4). Para assegurar a qualificação precisa apenas de um empate.

O seu adversário, com três pontos, depois do triunfo sobre o Mali (1-0) e derrota com Malawi (0-3), tem de vencer para chegar à fase seguinte.

Em Cabinda, o Malawi está mais próximo da qualificação, já que com um empate
pode passar a fase seguinte, desde que a Argélia não vença.

Entretanto, a selecção dos Camarões conseguiu a sua primeira vitória ao derrotar ontem a Zâmbia por 3 bolas contra duas.

Na mesma jornada do Grupo D, o Gabão e a Tunísia empataram a uma bola.

Para hoje estão agendados os sequintes jogos do Grupo A, onde está a anfitriã: 18:00 (19 horas de Moçambique) h – Argélia-Angola e Mali-Malawi.

Eto'o irrita-se com jornalista em conferência de imprensa

O atacante camaronês Samuel Eto’o, irritou-se, ontem, no estádio nacional da Tundavala, com um jornalista do seu país, quando este questionou a "estrela" se acreditava que a equipa camaronesa, pela maneira como está a jogar, poderia atingir os seus objectivos na prova.

Em conferência de imprensa, após o jogo, em que a sua equipa venceu com dificuldades a sua congénere da Zâmbia (3-2), o internacional dos Camarões de semblante franzido perguntou ao seu compatriota se era, na realidade, camaronês, ao que este respondeu afirmativamente e logo de seguida pediu “respeito”.

“Não aceito desrespeitos. Peço respeito. Eu estou aqui para representar os Camarões e não de uma forma diferente e peço respeito pelos jogadores da nossa selecção”, pediu o atacante do Inter do Milão da Itália, visivelmente irritado e insatisfeito com o reporter.

Eto'o, explicou que os “Leões Indomáveis” tentaram jogar o máximo possível ao contra-ataque, mas não foi fácil, uma vez que os zambianos demonstraram resistência, “mas o mais importante foi conseguir os três pontos que nos dá o moral de avançar”.

A estrela reconheceu que o jogo foi difícil e que não esperava tanta resistência por parte dos “Chipolopolos”, designação da formação zambiana, que na sua óptica esteve “muito bem” na partida e com vontade de vencer o jogo.

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


domingo, 17 de janeiro de 2010

Egipto qualifica-se



O Egipto apurou-se ontem para os quartos-de-final da taça de África da Nações em futebol, ao vencer Moçambique por 2-0, em jogo da segunda jornada do grupo C disputado no estádio de Ombaka, em Benguela.

Os tentos foram apontados pelo central moçambicano, Dário Khan, na própria baliza e Gedo aos 81.

Os egípcios, actuais detentores do título continental, que venceram na estreia a Nigéria por 3-1, somam seis pontos na liderança.

A Nigéria é a segunda colocada com três pontos, depois de vencer no outro encontro deste sábado o Benin por 1-0.

A póxima jornada disputa-se no dia 20 com o Egipto a defrontar o Benin em Benguela às 17h00, mesma hora em que Nigéria e Moçambique jogam no Lubango.

O Egipto é a segunda formação a apurar-se para os quartos-de-final, juntando-se a Costa do Marfim, que sexta-feira que conseguiu o apuramento no grupo B, ao bater o Ghana por 3-1.

No outro jogo da noite, que pós frente a frente as formações da Nigéria e Benin, terminou com a vitória dos nigerianos por uma bola sem resposta.

Vídeo

Moçambique 0-2 Egipto




Nigéria 1-0 Benim


CAN - 2010
Grupo C / Resultados e classificação

Resultados e classificação do grupo C do CAN2010, com sede em Benguela, após a disputa hoje da segunda jornada:

Resultados

Egipto - Nigéria, 3-1
Moçambique - Benin, 2-2
Nigéria-Benin, 1-0
Egipto-Moçambique, 2-0

Classificação

Can-Grupo C


Próxima Jornada (20/1/10)

Egipto - Benin (17h00, Benguela)

Nigéria-Moçambique (17h00, Lubango)

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


sábado, 16 de janeiro de 2010

CAN Angola - 2010: Costa do Marfim é a primeira a se qualificar para os quartos de final

Costa do Marfim está nos 4ª de final ao vencer o Gana

A Costa do Marfim foi a primeira selecção a se qualificar para os quartos de final da maior prova futebolistica de África, graças a vitória de ontem diante do Ghana, por 3 bolas a uma.

Os costa marfinenses mostraram que estavam para jogar pela vitória ao consumarem uma revira-volta.

Antes desta partida os Elefantes, liderados por Didier Drogba, empataram com a Burkina Faso a uma bola, por que esse derby só lhes interessava vencer.

Não se realizou o encontro entre a Burkina Faso e Togo, por esta última ter desistido da prova devido ao ataque que tirou a vida de dois dos seus integrantes e ferido alguns jogadores, isto em Cabinda.

Na terça-feira vai o grubo B vai conhecer a segunda que vai para os quartos de final, que sairá do Ghana-Burquina Faso.

Hoje, é a vez do grupo C, o de Moçambique, cujo neste momento Nigéria - Benin estão a medir forças para as 20 h 30 min de Moçambique ses a vez dos Mambas e os e dos egípcios.

Vídeo

Costa do Marfim 3-0 Gana


Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Angola vence Malawi e é líder do grupo A

Angola venceu Malawi por 2-0 e define apuramento com Argélia

A selecção de Angola venceu esta noite o Malawi, por 2-0, em jogo da segunda jornada do grupo A da Taça Africana das Nações de futebol, disputado no Estádio Nacional 11 de Novembro, em Luanda.

Os golos do combinado nacional foram apontados pelos avançados Flávio Amado, aos 47 minutos e Manucho Gonçalves, aos 54.

Depois de uma primeira metade desinspirada da selecção nacional de futebol, mercê da pressão psicológica inicial, os Palancas Negras superaram o medo e venceram hoje, no Estádio 11 de Novembro, o Malawi, por 2-0, e assumiram a liderança do Grupo A da Taça de África das Nações em futebol, que decorre no país.

Com uma etapa inicial sem chama e energia, actuando mais na contenção para controlar os índices de ansiedade dos jogadores, Manuel José viu a equipa desperdiçar oportunidades de golo, por Manucho, Flávio e Djalma. O sector defensivo esteve impecável e mostrou que se pode sonhar.

A primeira parte foi discutida de forma equilibrada, mas a exibição da segunda metade foi melhor e proporcionou aos 50 mil espectadores momentos únicos de saborear a vitória, construída nos últimos 45 minutos, apagando a triste ponta final do desafio com Mali (4-4).

Com uma prestação de alto nível, os angolanos começaram bem o jogo. Logo aos sete minutos, Manucho avisou os malawis o que se seguiria, depois da assistência de Flávio Amado, obrigando Sanudi a uma defesa apertada. Pouco depois, aos 12, Mabiná cruzou mas a bola tomou rumo incerto.

A partir dos 15’, tudo ficou equilibrado. Mas aos 20 o avançado angolano do Valladollid de Espanha voltou a dar nas vistas, com remate perigoso, para cima. Angola foi mais perigosa no jogo flanqueado, onde Mabiná, Djalma e Gilberto (rendido por Jamuana) chegavam com facilidade para a baliza contrária, porém na hora de facturar Manucho e Flávio não encontravam o caminho certo.

Só na segunda parte, o Malawi foi superado, com um futebol mais objectivo. Foram necessários três minutos depois do intervalo, para Flávio, mesmo limitado, marcar, de cabeça, o primeiro dos angolanos, para o delírio do público presente no 11 de Novembro, após cruzamento milimétrico de Djalma.

A equipa de Manuel José manteve-se sólida e firme, mostrando-se mais fria na gestão do tempo para evitar erros desnecessários. Com essa tendência, Angola foi fazendo o jogo pelo jogo, sem entrar nas armadilhas do Malawi, pelo que o segundo era questão de tempo. Aos 54, Manucho fez o que se esperava: 2-0, aproveitamento desarme de bola a entrada de área, e “matou” o sonho dos
visitantes.

As contrariedades também tentaram atrapalhar o esquema montado pelo seleccionador angolano, pois a saída de Gilberto fragilizou o meio campo, embora Jamuana tenha sabido entregar-se e empurrado o plantel para frente, numa altura em que se denotava ainda o medo e tensão.

Flávio também saiu por lesão, aos 62 minutos, quando o resultado já estava feito e serviu para ganhar mais alguns minutos durante o tempo que esteve em campo. O seu substituto Mantorras deu outra alma e segurança aos angolanos, apesar da sua presença não ter sido coroada com golo. Segurou o jogo e tranquilizou os colegas, dando maior coesão a Chara e David, este que rendera o lesionado
Djalma, aos 62.

Kinnah Phiri, técnico do Malawi, teve poucas soluções para contrapor os anfitriões e quando A sua equipa tentava partir para o ataque era travada, pelos médios de cobertura (Stélvio, Chara e David).

Com a lição estudada, Angola suplantou o adversário, graças aos pormenores reflectidos ao longo da partida. Houve conexão entre os três sectores. Na defesa, Kali, Rui Marques e Zuela mostraram-se coesos; no meio campo e nas alas evidenciaram-se as vias mais rápidas de chegar à baliza e o ataque cumpriu com o necessário.

Para o mesmo grupo, a Argélia derrotou a similar do Mali, por 1-0, no mesmo recinto.

hoje jogam para o grupo B, às 20.30 h - Costa do Marfim-Gana.

Recorde-se que na quarta-feira o Camarões perdeu com o Gabão por 1-0 e a Tunisia empatou a uma bola com a Zâmbia.

Vídeo

Angola 2-0 Malawi
Flavio
Manucho




Argélia 1-0 Mali




Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

CAN ANGOLA-2010: Cidade das acácias rubras dançou ao ritmo da marrabenta

Moçambique e Benin empataram 2-2 no primeiro jogo

A uma determinada altura, ontem à noite, no Estádio Nacional de Ombaka, em Benguela, o semba deixou de se ouvir. Os adeptos angolanos, que desde a primeira hora não esconderam a sua simpatia pelos “Mambas” moçambicanos, com os quais existem muitas afinidades, transformaram a sua incredulidade numa festa que parecia estar a ocorrer no Vale do Infulene.

A forma destemida como os “Mambas” afrontaram a derrota por duas bolas sem resposta como algo perfeitamente ultrapassável – encarnaram muito bem a cartilha dos malianos – fez com que, naquele majestoso espaço da cidade das acácias rubras se dançasse ao ritmo da marrabenta, bem interpretado nas quatro linhas pelos jogadores, que diante do Benin alcançaram um empate 2-2, na jornada inaugural do Grupo “C” da 27ª edição do Campeonato Africano das Nações Angola-2010. Até aos 21 minutos, altura em que os “Esquilos” chegaram ao segundo tento, poucos acreditavam que a turma moçambicana pudesse mudar o curso dos acontecimentos.

No entanto, tal acabou acontecendo mercê de uma extraordinária entrega de toda a equipa e até com algumas revelações que “a priori” não estavam nos prognósticos e conjecturas de muita gente. Referimo-nos à magnífica actuação e Gonçalves, que, tendo entrado como elemento de recurso face à lesão intempestiva de Dário Monteiro, acabou por se tornar numa peça-chave do ataque dos “Mambas”, com a sua exibição a ser coroada com um golo oportuníssimo.

É verdade que nem tudo foi um mar de rosas para a equipa de Mart Nooij, particularmente quando, no início da contenda, entregou a iniciativa de jogos aos beninenses e estes souberam tirar partido de dois clamorosos erros para se adiantarem no marcador, mas, globalmente, acabou por fazer jus a um empate que até foi lisonjeiro para o Benin, tal como, aliás, o seu próprio treinador fez questão de o reconhecer.

Egipto anulou Nigéria

A festa do futebol pelas terras de Ombaka teve início com uma espectacular partida entre Egipto e Nigéria, com o triunfo a sorrir para os “Faraós” por indiscutível 3-1. Os nigerianos abriram o activo aos 13 minutos, por intermédio de Obasi, deslumbraram-se e acabaram por pagar cara a factura, pois os campeões em título iniciaram a sinfonia do seu futebol pragmático e construíram uma preciosíssima vitória com golos de Meteeb (33 m), A. Hassan (54) e Gedo (86).

A segunda jornada do grupo benguelense disputa-se no sábado, com os “Mambas” a enfrentarem os egípcios, jogo precedido do Nigéria-Benin. Entretanto, a jornada inaugural do CAN Angola-2010 concluiu-se esta noite, no Lubango, com dois desafios do Grupo “D”, designadamente Camarões-Gabão e Zâmbia-Tunísia.

Vídeo

Moçabique 2-2 Benim/Egipto 3-1 Nigéria


Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Malawi vence na estreia e lidera isolado

Malawi goleou Argélia

O Malawi assumiu a liderança do grupo A, da taça de África das Nações-Angola 2010, ao vencer esta tarde a congénere da Argélia por 3-0, em jogo da primeira jornada disputada no estádio 11 de Novembro em Luanda.

Os tentos dos malawis foram apontados por Russel (17'), Kafoteka (36'), Banda (47').

Nao utra partida do grupo, angola e Mali empataram domingo a quatro bolas, como ja havia referenciado.

A próxima jornada desta série disputa-se quinta-feira no mesmo recinto com o cartaz

Mali-Argélia, às 17h00, e Angola-Malawi (19h30).

Ainda hoje jogam: Costa do Marfim-Burkina Faso, em derby do grupo B.

Vídeo

Malawi 3-0 Argélia


Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


Angola permite empate e decepciona na estreia

Angola depois de estar a vencer por quatro golos deixou-se empatar com o Mali (4-4)

A selecção nacional empatou hoje com a congenere do Mali (4-4), na abertura da 27ª Taça de África das Nações, numa noite em que os Palancas Negras viveram uma das piores pontas finais da sua história, ao permitir empate depois de vantagem de 4-0.

A equipa angolana mostrou segurança e dominou o encontro até aos 80 minutos, altura em que desenhava goleada histórica. Flávio, por duas vezes (aos 37’ e 42’), começou a construir um sonho que parecia fácil de ser concretizado e a ideia ganhou consistência no princípio da etapa complementar, com mais dois golos: Gilberto e Manucho Gonçalves, ambos de penalty, aos 66 e 73 minutos,
respectivamente.

O que se adivinhava ser uma noite de glória e desforra da goleada sofrida (0-4) em Paris, em Fevereiro de 2009, acabou em lágrimas. Os angolanos “descansaram”, enquanto a entrada de Seidou Keita revolucionou a reviravolta dos malianos, que nunca desistiram do jogo, ao contrário dos Palancas Negras que já se sentiam vencedores antes do apito final.

Dois momentos marcaram a “tristeza” no empate, que sabe à derrota para os anfitriões. A saída do médio e pensador Gilberto, responsável pelos lances que originaram os golos (deu dois a marcar e fez um), aos 80, já que a seguir a equipa se perdeu e consentiu o primeiro golo, numa intervenção infeliz de Carlos (guarda redes).

Aos 81’ Seidou Keita, saído do banco aos 34 minutos para o lugar de Maiga Modibo, reduziu para os visitantes.

O que se seguiu foi inacreditável. A grande exibição até então evidenciada foi trocada por uma postura irreconhecível dos angolanos, que permitiu tudo e mais alguma coisa, a ponto de apagar a actuação dos primeiros 80 minutos. Depois de Keita, Manucho Gonçalves ainda teve duas oportunidades para ampliar o resultado mas foi ineficaz e falhou.

A “nuvem negra” tomou conta dos pupilos de Manuel José e aumentou os níveis de confiança dos malianos de Stephen Keshi, quando Frederic Kanouté fez o 4-2, aos 88, num remate de cabeça, batendo o guarda-redes do Rio Ave de Portugal. Keita “bisou” nos descontos (90 mais 2) e acreditou ainda mais na partida.

O seu esforço foi compensado com o tento aos cinco minutos depois dos 90 de Yattabaré, deitando por terra uma noite de glória transformada em pesadelo, do qual os angolanos dificilmente esquecerão. Depois de deixar escapar o resultado que facilitaria o apuramento para a fase seguinte, agora resta preparar-se melhor para evitar o mesmo filme na quinta-feira frente ao Malawi, na segunda ronda do Grupo A.

Fotos da cerimónia de abertura da CAN 2010, neste Link.

Vídeo

Angola 4-4 Mali



Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

CAN ANGOLA-2010 -Costa do Marfim: constelação de estrelas


A Costa do Marfim chega ao seu 18º Africano das Nações como uma das selecções a quem é reconhecida capacidade para atingir o pódio, suportada por estrelas "globais" como Didier Drogba, Salomon Kalou, Kolo Touré e Yaya Touré.

Depois de uma situação infeliz no Gana em 2008, onde fizeram o pleno na primeira fase, goleando nos quartos-de-final a Guiné Conacri (5-0), os “Elefantes” acabaram em quarto de forma inglória para uma equipa repleta de jogadores de referência nos clubes europeus.

Nas meias-finais caiu (1-4) diante do campeão em título, Egipto, e outro deslize nas classificativas do terceiro lugar frente aos anfitriões (Gana), por 2-4, esse desfecho faz da Costa do Marfim um conjunto “ferido” em busca da glória perdida nas últimas edições.

Uma das formações apuradas para o Mundial deste ano, na África do Sul, os “Elefantes” têm na sua folha de prestações em campeonatos africanos oito semifinais, duas finais e um título, conquistado em 1992 no Senegal diante do Gana, de Yeboah, Lamptey e Mensah.

Na altura, a Costa do Marfim, depois do nulo no tempo regulamentar e prolongamento, recorreu-se aos penaltes, tendo resistido o empate e apenas desfeito na terceira série (11-10) desta etapa.

Nas meias-finais, ainda na capital senegalesa (Dakar), os “Elefantes” tiraram do caminho os “Leões Indomáveis” por 3-1, após penaltes (0-0, tempo regulamentar). Na época, nem mesmo estrelas da craveira de Antoine Bell, Ebwelle, Kundé, Ekeké, Kana Biyik, Oman-Biyik e Makanaky, que constituíam a “elite” do futebol africano, conseguiram travar a fúria marfinense, liderada por Gouamené, Sekana, Tiéhi e Abdoulaye Traoré.

Apesar de ser uma das grandes selecções de África, teve sempre problemas para se qualificar em campeonatos mundiais, facto que só aconteceu no Alemanha-2006, na mesma prova da FIFA onde Angola se estreou sob comando técnico de Oliveira Gonçalves.

A marca da evolução do seu futebol é de ter muitos dos principais jogadores em grandes emblemas europeus, nomeadamente Didier Drogba, Salomon Kalou (Chelsea), Kolo Touré (Manchester City) e Yaya Touré (Barcelona).

O seu último desafio antes do Mundial-2006 foi em Março diante da Espanha (3-2). Estreou-se na Alemanha no chamado “grupo da morte”, com Argentina, Holanda e Sérvia. Foi eliminada na primeira fase e terminou na 19ª posição do Mundial na classificação final.

A equipa é capitaneada por Didier Drogba, o maior artilheiro dos “Elefantes” (36 golos), enquanto Didier Zokora conserva o título de jogador com mais internacionalizações (75).

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


CAN ANGOLA-2010: “Gaviões” mansos com Adebayor no ataque


Ausente no Gana-2008 mas estreante no Mundial-2006, a selecção do Togo mostra-se para este CAN como um dos “outsiders” a ter em conta, mesmo que para muitos Emmanuel Adebayor seja apenas mais um avançado “isolado” num plantel mediano.

Sem título continental, os “Falcões” ou “Gaviões” entram na sétima participação com receio de falhar na primeira fase preliminar, mas a doce lembrança de terem abanado as "forças africanas" na campanha do Alemanha-2006 fazem desta selecção um conjunto que pode levar alegria aos relvados de Angola.

Depois de ter deixado para trás formações como Zâmbia e Senegal no Mundial passado, esta equipa de um pequeno país, localizado ao Oeste de África, possui pouca história futebolística em conquistas relevantes. Foi dirigida até inícios deste ano por um dos contemporâneos de Bwalya, o nigeriano Stephen Keshi, capitão das “Super Águias” no Estados Unidos-94.

A proeza dos togoleses não pode, ainda assim, mascarar factos controversos, ao longo da sua campanha para Angola-2010. É uma selecção que vive do talento e inspiração do avançado do Manchester City Emmanuel Adebayor. Sem ele, a equipa desaparece, por isso tem se constituído uma presa fácil de abater.

Depois do esporádico apuramento para o Mundial passado, falhou a mesma façanha para África do Sul, porém conseguiu sobreviver e garantir presença no CAN, invertendo o quadro de há quatro anos, quando foi à Alemanha e tropeçou para Gana-2008.

A estrela dos “Gaviões” é também a grande fonte de problemas, já que esteve na base da demissão de Keshi. Apesar desses factores, continua a ser a referência e a esperança do Togo no sétimo campeonato da selecção.

Devido a isso, os “Gaviões” para a grande maioria dos “melhores” de África para este ano são uma incógnita, mas tentarão mostrar que têm asas para voar alto, mesmo que isso signifique sacrifício para futebolistas que alinham em ligas europeias.

Razak Boukari é um dos temíveis atacantes a par de Adebayor. Outros jogadores, como o guarda-redes Obilalé Dodji (Pontivy) e Serge Akakpo (Vaslui), os defesas Assimiou Touré (Bayern Leverkusen), Senah Mango (Marselha), os médios Moustapha Salifou (Aston Villa), Floyd Ayité (Nancy), os atacantes Thomas Dossevi (Nantes) e Serge Gakpé (Mónaco) querem transformar-se em centro de atracções.

Na fase qualificativa para este CAN-2010, o Togo bateu em casa, no Grupo A, os Camarões, por 1-0, com golo de Adebayor, mas na segunda jornada sucumbiu em Libreville diante do Gabão (0-3), tendo empatado na terceira ronda (0-0) em Rabat frente ao Marrocos, um dos ausentes de peso deste CAN.

No seu grupo passaram Camarões, Togo e Gabão, deixando para fora da maior cimeira futebolística africana o Marrocos.

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial


CAN ANGOLA-2010: Argélia busca áurea dos anos oitenta


Última selecção africana a apurar-se para o Mundial, porque teve de jogar um “play-off” com o Egipto, a Argélia desde muito cedo carimbara no entanto o passaporte para Angola.

As “Raposas do Deserto” chegam ao CAN-2010 com um título continental e duas presenças (consecutivas) no Campeonato do Mundo. Mas também com a fresca referência de terem “tirado” do Mundial o campeão e “papão” dos títulos em África.

No Continente africano, o seu “ano dourado” foi 1990, quando organizou e ganhou, de forma categórica, o seu primeiro e único título continental. Com uma equipa onde pontificavam Djamel Menad e Rabah Madjer. Os anfitriões começaram a prova com uma goleada sobre a Nigéria de 5-1, o mesmo adversário que bateram na final por 1-0 num percurso em que foram invictos. Na altura a fase final era disputada por oito selecções.

O seu poderio ficou sublinhado com o título de melhor marcador (Menad, com quatro golos) e seis jogadores na “equipa ideal” do torneio.

A nível do Campeonato do Mundo, as “Raposas” foram muito bem sucedidas na estreia, Espanha-82. No primeiro jogo da sua história “escandalizaram” o mundo do futebol com vitória sobre a poderosa Alemanha, por 2-1, o que permitiu embalarem para a fase seguinte. Na edição seguinte (México-86), porém, após apuramento consecutivo para um Mundial, regressaram à casa após a primeira fase.

A Argélia falhou a qualificação nas últimas duas edições do CAN (Egipto-2006 e Ghana-2008). Na sua última participação, em 2004, foi afastada nos quartos-de-final pela selecção de Marrocos.

Quando prepara a sua 14ª participação num CAN, a selecção argelina amealhou já um primeiro lugar, foi uma vez finalista (1980, derrotada pela Nigéria), duas vezes terceira (1984 e 1988) e chegou aos quartos-de-final em 1996 (eliminada pela África do Sul), 2000 (batida pelos Camarões) e em 2004 (superada pelo Marrocos).

Contudo, o seu percurso actual indicia regresso aos seus “altos voos”, tendo como principal “cartão de visitas” a eliminação do Egipto do primeiro Campeonato do Mundo no Continente Africano.

Neste momento a Argélia ocupa o 26º lugar no ranking da FIFA e é a quinta melhor selecção em África, apenas superada pelos Camarões, Costa do Marfim e Egipto.

Sob orientação de um compatriota, Rabah Saadane, a equipa das “Raposas do Deserto” tem como referências os melhores marcadores do conjunto Karim Ziami, Rakif Saifi e Antar Yahia, com três golos cada, e Rafik Djebbour, Abdelkader Ghezzal (2), Nadir Blhadj, Yazid Mansouri, Lounes Gaouaoui e Kaled Lemmouchia.

O recorde de internacionalizações é pertença de Mahieddine Meftah (107 jogos) e o melhor marcador de todos os tempos é Abdelhafid Tasfaout (35 golos).

Para chegar ao CAN-2010, a Argélia venceu o seu grupo de qualificação com 16 pontos em sete encontros (o último foi de desempate para desfazer a igualdade com o Egipto), com cinco vitórias, um empate e uma derrota. Marcou 10 golos e consentiu quatro, deixando para o segundo plano o detentor do troféu, Egipto, que terminou com 13 pontos, nove golos marcados e cinco sofridos.

A Zâmbia (cinco pontos) foi terceira e completou o trio de representantes do grupo na competição de Angola, relegando para último o Ruanda, que amealhou apenas dois pontos.

Texto: Michael Cesar (correspondente e colaborador do Desportugal em Moçambique)

Página Inicial