quinta-feira, 22 de maio de 2008

Manchester United vence Chelsea nos penáltis e conquista Liga dos Campeões 2007/2008

Manchester United - Campeão da Europa 2007/2008

Numa final vibrante e dramática, o Manchester United levou a melhor sobre o Chelsea nas grandes penalidades (6-5), depois de 1-1 no final dos 120 minutos, e juntou ao seu palmarés a sua terceira Taça/Liga dos Campeões Europeus. Anteriormente tinha vencido o Benfica em 1968 e o Bayern de Munique em 1999.

Outro facto a salientar e não muito falado, foi um português de gema (Cristiano Ronaldo) a marcar numa final da Liga dos Campeoes. Tal cenário já não acontecia desde do grande Benfica da década de 60.

O jogo teve todos os ingredientes que o adepto de futebol gosta - golos, oportunidades claras de parte-parte, expulsão, penáltis e muito suor e lágrimas - um drama à inglesa para Mundo ver.
Portugal foi muito bem representado por Cristiano Ronaldo, Nani e Ricardo Carvalho, e não esquecer os que não jogaram claro (Paulo Ferreira, Hilário e Carlos Queiroz no banco - por momentos foram bem audiveis as suas indicações para o relvado).

Na terceira final da prova entre clubes do mesmo país - Real Madrid-Valência de 2000 e AC Milan-Juventus de 2003 - um emblema inglês alcançou o maior título europeu pela 11ª vez, igualando Itália e Espanha como as nações com mais triunfos na competição.

Cristiano Ronaldo marcava nas alturas o primeiro golo em Moscovo

As duas equipas apresentaram-se em Moscovo com várias alterações em relação aos jogos das meias-finais. No Manchester United, com o defesa sérvio Vidic recuperado de uma lesão, voltou ao centro da defesa, Wes Brown alinhou a lateral-direito e Hargreaves recuperou seu lugar no meio-campo. O sul-coreano Park Ji-sung, que vinha sendo titular, acabou por ser a grande surpresa ficando na bancada.

O técnico Alex Ferguson optou por um 4-4-2, com Rooney e o argentino Carlos Tevez na frente, e Cristiano Ronaldo jogando a extremo esquerdo. Avram Grant manteve o tradicional 4-3-3 do Chelsea, mas com Malouda alinhando no lugar do marfinense Kalou.

A primeira metade da etapa inicial paltou-se pelo equilíbrio táctico, com o ManUnited a ter mais iniciativa, mas sem oportunidades claras de golo. Depois as coisas aqueceram aos 21 minutos, quando numa disputa de bola entre Makélélé e Paul Scholes, resultou num cartão amarelo para ambos. Scholes saiu sangrando do nariz.

Aos 27 minutos, o Machester United abriu o marcador. Após uma lançamento de linha lateral, Brown tabelou com Scholes e cruzou para Cristiano Ronaldo que apanhou Essien na "covas", para cabecear imparavel para as redes. O 42.º golo da época do internacional português, oitavo nesta edição da Liga dos Campeões (melhor marcador da competição) e Bota de Ouro.

O Chelsea não baixou os braços e logo de seguida teve uma boa chance de empatar, quando Rio Ferdinand, na tentativa de se antecipar a Ballack, obrigou van der Sar a fazer uma grande defesa para canto. No minuto seguinte, foi a vez de Petr Cech aplicar-se. O guarda-redes checo do Chelsea salvou a equipa num remate de cabeça de Tevez, após cruzamento de Ronaldo, e na sequência da jogada impediu o golo de Michael Carrick de fora da área.

Lampard empatava perante Van der Sar

Apesar do domínio dos Red Devils, o Chelsea não se abateu e esperou pela melhor oportunidade. Aos 43 minutos, quando já todos esperavam o apito do árbitro para que as equipas recolhessem às cabinas, Essien cria desequilíbrios no último terço de terreno, sobrando a bola para Lampard, que beneficiando de uma escorregadela de Van der Sar, não teve dificuldades em restabelecer a igualdade na partida.

Ainda antes do intervalo, Ricardo Carvalho quase mandava Cristiano Ronaldo para o "estaleiro" e levou cartão amarelo.

As equipas voltaram sem alterações para a segunda parte, e os blues moralizados pelo golo, passavam a assumir o controlo do jogo. Mais audazes no ataque, surgiram a ocupar posições mais adiantadas, mas sem incomodar verdadeiramente Van der Sar nos primeiros 20 minutos. Pelo Manchester United, Rooney passava a actuar mais recuado, pela direita, com Hargreaves no meio e Tevez isolado na frente de ataque. A estrela de Cristiano Ronaldo brilhou menos nesta fase do encontro, e o ataque do United ressentiu-se, já que Tevez e Rooney foram sempre bem vigiados por Terry e Ricardo Carvalho, autor de uma boa exibição na segunda final da "Champions" em que participou, depois de ter ajudado o FC Porto a conquistar o troféu em 2004.

Malouda reclamou de penálti aos 31 minutos, após cair na área mum leve contacto com Ferdinand, mas o árbitro eslovaco Lubos Michel decidiu correctamente mandar o jogo seguir. Dois minutos depois, a melhor chance em toda o segundo tempo. Drogba ganha espaço na entrada da área e dispara forte fazendo a bola embater no poste esquerdo da baliza do holandês.

A primeira alteração da partida só foi feita aos 42 minutos, com a saída de Scholes para a entrada de Ryan Giggs, que fez história ao somar 759 jogos pelo Manchester United, tornando-se o novo recordista absoluto, superando a marca do lendário Bobby Charlton.

No início do prolongamento, debaixo de uma intensa chuva e já com Nani em campo, o Manchester United subiu outra vez de produção, mas voltou a ser do Chelsea a grande oportunidade para marcar e fazer a reviravolta, num remate de Lampard que só a barra impediu de se transformar em golo.

A segunda parte do prolongamento corria sem que as duas equipas assumissem grandes riscos até que, a quatro minutos do final, houve uma confusão generalizada.Os nervos apoderaram-se das duas equipas, e Drogba acabou por ser expulso, após agressão a Vidic, num lance em que os jogadores do Chelsea protestaram, de forma exagerada, uma bola devolvida para fora por Tevez.
Já a pensar nos penáltis, os dois técnicos fizeram as últimas alterações antes do apito final colocando os especialistas Belletti no lugar de Makélélé e o ex-portista Anderson por Brown.

Cristiano Ronaldo falhava penalti

Nas decisão por grandes penalidades, Tevez e Carrick, pelo United, Ballack e Belletti, pelo Chelsea, converteram as duas primeiras cobranças. Depois Cristiano Ronaldo deu uma "paradinha à Veloso" antes de rematar para o lado direito, mas Cech esperou a decisão do 7 dos red devils e defendeu.

Terry escorregava e falhava penalti que daria Champions ao Chelsea

Seguiram-se golos de Lampard, Hargreaves, Ashley Cole e Nani, até Terry falhar o quinto penálti do Chelsea de forma inacreditável, para desespero do patrão Roman Abramovich, escorregando e remantando para fora. Era somente o golo do título!

Anderson e Kalou marcaram na sexta cobrança, e Giggs, coroando a sua noite histórica, fez 6 a 5. Na sétima série Anelka permitiu a defesa de Van der Sar e o Manchester United conquistou o terceiro título máximo europeu.

Agora Euro/2008 e Força Portugal!

Nani, Anderson e Cristiano Ronaldo em festa

Vídeos

Manchester United 1-1 Chelsea
Cristiano Ronaldo 26'
Lampard 46'



Entrega da Taça da Liga dos Campeões ao Manchester United


Vídeo do jogo da RTP, aqui.

Add to Technorati Favorites

Fotos: Fox

Página Inicial

15 comentários:

  1. alberto paiva22 maio, 2008 04:50

    Grnde jogo.Futebol aberto, domínio repartido, oportunidades de golo, emoção a rodos, excelentes duelos individuais e colectivos e por fim o drama das grandes penalidades.

    Qualquer das duas equipas poderia ter levado o troféu para sua casa, mas na hora da decisão máxima pesou o histórico do peso das camisolas.

    Parabéns ao UNITED

    ResponderEliminar
  2. césar fernandes22 maio, 2008 04:52

    O Chelsea perdeu injustamente este jogo. Também no futebol é preciso sorte e o Cristiano Ronaldo só pode agradecer à sorte ter ganho esta final. Depois de se "armar" em vedeta ( fazer a paradinha ) só pode esperar falhar muitos mais penaltis ! Claro que ele também tem o direito de falhar porque isso é próprio dos humanos, mas utilizar aquela forma de marcar... Mesmo assim considero que é um grande jogador,o melhor do mundo neste momento!!! Voltando ao Chelsea, jogou ao nível do que jogava no tempo do Mourinho, merecendo ganhar a final. No futebol e em muitas outras coisas da vida, muitas vezes também não há justiça ! Voltando outra vez ao Cristiano Ronaldo deu para ver que está bastante desgastado fisicamente, o que é normal, depois de uma época em grande e de muitas exigências. Suspeito por isso que vai ser difícil recuperá-lo para jogar ao melhor nível no Europeu. A ver vamos se o Scolari e a equipa técnica da Selecção serão capazes de fazer um trabalho válido de recuperação dos jogadores mais fatigados.

    ResponderEliminar
  3. Parabéns Manchester United, parabéns Ronaldo, parabéns Nani.Cristiano Ronaldo bota de Ouro da Europa, melhor marcador da Champions, campeão europeu de clubes, MADE IN ACADEMIA SPORTING.

    ResponderEliminar
  4. Preferia o chelsea, mas para a seleção provavelmente é melhor assim, o ronaldo vem moralizado e quer acabar de conquistar a Europa.

    Grande Giggs, um jogador de quem sempre gostei, é bonito ver 9 anos depois daquela vitoria épica mais uma vitoria épica para este grande jogador.

    ResponderEliminar
  5. Espetaculo do jogo. Ao contrario do que eu imaginava, nao tive sono em parte algumac como em outras finais

    Chelsea muito castigado com aquelas bolas no poste e o penalti do Terry, mas o futebol e` assim. Merecem uma vénia por tudo que fizeram ate chegar a final e pelo esforco demonstrado.

    ResponderEliminar
  6. Boa final a nível de emoção...

    Terry não merecia aquilo, grande capitão que sente o clube e o ama, devia ser o jogador do Chelsea que mais vontade tinha de ganhar a champions e escorrega, não merece tanto azar...

    Ronaldo, finalmente a consagração como melhor do mundo!

    Tuga Power

    ResponderEliminar
  7. pedro geraldo22 maio, 2008 05:07

    Em primeiro lugar, gostei que o Manchester tivesse vencido. Na minha opinião, o Chelsea constitui o paradigma da decadência do futebol moderno, em que um qualquer milionário toma conta de um qualquer clube e facilmente o coloca na ribalta. Pegando nas palavras de um amigo meu, já não se enfrentam somente equipas, mas principalmente o dinheiro.
    Pelo curso actual, não me parece que vejamos novamente uma equipa portuguesa numa final da Champions. E quem diz portuguesa, pode dizer francesa, holandesa, romena, sérvia ou belga - apenas para referir alguns dos países que obtiveram sucesso na competição antes do futebol se ter tornado negócio mais do que desporto. Salvaguardando uma excepção, que, segundo consta, confirma a regra.

    Bem, de qualquer forma, erro crasso do Grant ao apostar no Essien a lateral. Pensou correctamente que ele seria uma mais valia na contenção dos movimentos de ruptura do Ronaldo e no apoio ao ataque. Esqueceu-se que uma das - senão a principal - funções do lateral é prestar auxílio aos centrais, e que o Cristiano até sabe cabecear. Nesse sentido, por duas ocasiões o ganês ficou nas covas face a cruzamentos largos do Hargreaves. Numa delas pagou a factura.
    Gostei do Chelsea na segunda parte, anulando o Scholes e, consequentemente, condicionando a transição ofensiva do United. Beneficiaram ainda do facto do Ronaldo ter estado praticamente todo o tempo encostado à linha, perdendo preponderância. Faltou-lhes a sorte que tiveram na obtenção do primeiro golo.

    O Ronaldo não sabe marcar penalties. Escapou-se de um trauma para a vida à custa do Terry. Há quatro anos outro inglês falhou uma grande penalidade de forma muito semelhante.

    Uma vénia aos lendários van der Sar, Giggs, Scholes e uma palavra de solidariedade para o Paulo F e o Ricardo C.

    ResponderEliminar
  8. É cruel. O MU, alem de ser um supertime, tem, também, muita sorte. Aqueles dois lances, na trave, demonstram isso, apesar do time ter jogado muito bem, no primeiro tempo. O segundo foi todo do Chelsea.

    ResponderEliminar
  9. Fiquei impressionado com John Terry. Após o penalty falhado, após o jogo terminado parecia... um fantasma.

    Fiquei a pensar que, se marcasse, quem estaria com aquele semblante sería certamente Cristiano ronaldo.

    Parabéns ao ManUtd embora me tenha ficado a sensação de que o Chelsea tivesse feito mais por merecer o caneco.

    ResponderEliminar
  10. daniel silveira22 maio, 2008 05:16

    Apesar de Ronaldo e Anelka também ter falhado, para a história ficará a imensa infelicidade de Terry que escorregou no momento decisivo.

    E assim o Manchester United assume-se como a melhor equipa do mundo e o Cristiano Ronaldo pode "encomendar" a Bola de Ouro.

    PS- acho horrível este modo de entrega da Taça?! Andaram de burro para cavalo no passado e agora fizeram o percurso inverso.

    Acho muito melhor, e ideal, a entrega da Taça naquele palco montado no relvado ... assim, este momento é muito menos vibrante e memorável.

    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  11. PARABENS A TODOS OS PORTUGUESES PRESENTES NA FINAL.

    O SCOLARI AINDA SE DEVE TER ASSUSTADO COM A PASSA DO RC AO CR!

    ResponderEliminar
  12. MANCHESTER SEM DÚVIDAS O MELHOR TIME DO MUNDO!! E CRISTIANO RONALDO O MELHOR JOGADOR SEM COMPARAÇÕES!!!!!!!

    ResponderEliminar
  13. Que final emocinante! Meu coração estava saindo pela boca na disputa de pênaltis! E final de Liga dos Campeões é mesmo uma coisa muita séria… É só jogão!

    Flu- Manchester United no Japão!Seria um sonho!

    ResponderEliminar
  14. mário pereira22 maio, 2008 19:22

    O van der Sar do Manchester United foi eleito o melhor jogador da final da Liga dos Campeões !!!! Tá tudo louco!!! Depois da FIFA ter roubado o 2ºlugar ao C.RONADO na eleição de melhor jogador, agora são os cabecinhas da UEFA!!! O que será preciso o C.RONALDO fazer mais para ganhar um prémio fora de campo!!! Não chega marcar golo na final e três passes para golo? Ser MM da Champions? MM da Premier??? Começa a parecer perseguição

    ResponderEliminar
  15. Mas o CR venceu para os adeptos é o que interessa. Eles é que pagam o futebol e vêm que realmente merece.

    ResponderEliminar

Home - Desportugal - Blog de Notícias Desportivas