domingo, 2 de dezembro de 2007

FC Porto vence Benfica por 0-1 na Luz com golo de trivela de Quaresma

Quaresma festejava golo na Luz frente ao Benfica

O FC Porto aplicou um xeque-mate ao Benfica vencendo por 0-1 no lotado Estádio da Luz, terminando um longo jejum de mais de 1 ano sem perder na Liga Portuguesa por parte dos encarnados. A última derrota dos lisboetas remontava a 18 Novembro de 2006 em Braga por 3-1 e agora um único golo, por sinal magistral de Ricardo Quaresma quebra uma das mais longas séries invencíveis.

Os campeões nacionais com esta vitória frente ao seu rival, voltam a distanciar-se na liderança, passando a dispôr de 7 pontos de vantagem sobre as àguias e 10 à condição sobre Sporting e Vitória de Guimarães.

Quem viu o jogo não ficou com dúvidas sobre a supremacia da equipa portista, num jogo em que o Benfica andou sempre um passo atrás dos acontecimentos, muito diferente do que tinha produzido frente ao AC Milan na 4ª feira para a Champions League e que levou perto de 60 mil adeptos benfiquistas ansiosos por uma vitória no clássico.
Já o FC Porto recuperou depressa da pesada derrota em Anfield Road de 4-1 frente ao Liverpool e fez sem dúvida o melhor jogo desta época.

O primeiro minuto deixou no ar a ideia de que os dragões ainda não tinham acordado do pesadelo defensivo de Anfield, após subida de Luís Filipe (que dizer?) na direita, Nuno Gomes ficou sozinho na área e rematou torto, contra o capitão Pedro Emanuel. Começo animador para o Benfica, que tentou cedo impor o ritmo, mas não voltou a entrar na área com muito mais perigo.

A pressa encarnada traduzia-se em sofreguidão, o que explicava os passes transviados nas transições para o ataque. Era disso que o FC Porto precisava para se tranquilizar: a partir dos dez minutos os portistas já eram claramente a equipa mais organizada, com bola e sem ela. Fê-lo por fases, primeiro estabilizando o seu jogo, numa altura em que era ainda uma equipa algo curta e sem profundidade. E, depois, e à medida que o Benfica entorpeceu e começou a dar mostras de depressão colectiva, os portistas foram maquilhando o molde e ganhando a batalha no miolo, onde as coisas verdadeiramente se decidem.

Lá em baixo, Camacho bem berrava para que a sua linha defensiva não recuasse tanto, mas as distâncias entre os sectores eram autênticas clareiras. Ultrapassada a fase barata do jogo, logo se distinguiram as diferentes abordagens ao jogo. Como se o GPS do FC Porto estivesse programado para encontrar o caminho mais rápido da baliza de Quim, única forma de acompanhar o frenesim dessa força da natureza chamada Lisandro, enquanto o aparelho de navegação do Benfica se perdia por vielas e à procura de um passageiro (Rui Costa) que tardava a aparecer. Aos 33 minutos, e já depois de o árbitro não ter assinalado uma possível falta de David Luiz sobre Lisandro na área, o avançado argentino ganhou um ressalto a Luisão, mas Tarik falhou por milímetros.

O Benfica andava à deriva e Quaresma só não marcava porque Quim estava atento, como voltaria a estar aos 41’, quando Bosingwa fez um centro rasteiro e o guarda-redes travou o remate de Lisandro. Era uma questão de tempo e o golo surgiu logo a seguir (e que golão!), com Lucho a recuperar uma bola e a lançar Ricardo Quaresma, que tirou David Luiz (deve andar à procura dos rins!) da frente e marcou de trivela (vídeo). A anarquia e o coração do futebol encarnado eram claramente castigados pelo método e pelo rigor dos dragões que davam justiça ao marcador.

Helton travava oportunidade de golo de Cristian Rodriguez

A segunda parte começou como a primeira, com Bruno Alves a ter um erro de incrível e Nuno Gomes a ficar na cara de Helton e a permitir-lhe uma defesa decisiva. O FC Porto foi melhorando aos poucos, até viria a perder, sucessivamente, Tarik e Quaresma, que saíram lesionados. Pelo meio seria, no entanto, o Porto a ter duas oportunidades para encerrar a questão, a primeira desperdiçada pelo recém entrado Postiga (Quim falhou a abordagem à bola) e a segunda pelo próprio Quaresma, que não aproveitou uma assistência de Lisandro.

Camacho trocou então de figurino, investindo em dois pontas-de-lança (entrou Cardozo) e numa frente alargada de quatro homens. Mas as coisas continuavam a funcionar de forma pouco funcional, havendo pouca ligação na transposição defesa-ataque.

Bruno Alves atento a Nuno Gomes

o FC Porto tornou-se menos ameaçador, e permitiu que o Benfica se instalasse no seu meio-campo. Uma cabeçada de Nuno Gomes, ao lado, e um remate do recém-entrado e talismã Freddy Adu, para boa defesa de Helton, ainda deu a ilusão aos adeptos benfiquistas de que o empate poderia estar perto. Mas não, a noite era mesmo de São João!

Em resumo, os primeiros 45 minutos foram azuis e brancos e, no segundo tempo, o Benfica talvez justificasse o golo do empate, mas a verdade é que os dragões souberam sofrer e foram premiados por isso. Com esta vitória os dragões cimentam a liderança na Liga deixando a concorrência bastante atrasada.

Vídeo

Benfica 0-1 FC Porto (resumo)
Ricardo Quaresma 42'


Golo de Quaresma (som da Rádio Renascença)



Vem fazer parte da equipa do Desportugal (saber mais neste link)


Fotos: AP + UEFA

Página Inicial

20 comentários:

  1. Grande Porto.

    Gostei muito da 1ª parte, fizemos um excelente pressing forçamos o erro do adversário e o resultado ao intervalo só pecou por escasso...embora o Benfica também tivesse tido chances de golo. O golo foi fantástico, coitado do David que ainda anda a procura dos rins.

    Na 2ª parte era inevitável que eles pressionassem melhor. O primeiro quarto de hora foi sofrível...lá conseguimos acertar as pontas na defesa, mas mesmo assim sem ganhar o meio-campo. O jogo foi caminhando para o fim com o Benfica atacar muito mas sem um fio de jogo sólido. Criávamos perigo no contra-ataque até que sofremos um duplo revés...sairam os dois únicos jogadores capazes de transportar a bola para o ataque em velocidade. E não tava ninguém no banco que fizesse um papel semelhante (Embora o Mariano não tenha entrado mal.)

    Os Argentinos,Lucho e Lisandro, fizeram um jogo enorme, principalmente este. O Lucho demorou para acertar mas foi muito importante no meio-campo, o Lisandro é incansável, luta pela bola os 90 min só faltou o golo...Além disso, ganhou todos os lances de um para um com o LOLuisão.

    ResponderEliminar
  2. Bom jogo, que grande 1ª parte, domínio avassalador da melhor equipa Portuguesa dos últimos 30 anos. Está visto pq razão estamos a 1 passo dos quartos da champs

    ResponderEliminar
  3. O Porto domina a primeira parte.
    O Benfica a segunda.

    Existe um penaltie a favor do Porto não assinalado.

    Resultado: Justo

    Porto Campeão

    NEXT

    ResponderEliminar
  4. eduardo silvério02 dezembro, 2007 07:52

    Vitoria do porto num jogo onde o empate era o mais justo.

    (+)
    Quaresma- golo preciso de dizer mais alguma coisa?
    Helton- realizou algumas boas defesas
    Cebola- gostei das suas movimentações
    Leo- subiu bem e criou alguns desequilibrios
    Adu- entrou bem no jogo logo criando uma oportunidade
    Quim- defendeu bem

    (-)
    Mariano- alguem sabe o que esta ele a fazer no porto?
    Bolati-
    Luis Filipe. socorro, joga mesmo mal.

    ResponderEliminar
  5. O golo é fenomenal, mas o espaço que lhe foi concedido foi fruto de um erro recorrente do Benfica. Lateral a encostar no central, dois centrais a marcar o ponta de lança e extremo a cobrir no centro na vez de fechar a lateral.

    Foi Léo a encostar nos centrais. O Luisão e o David no Lisandro, e o Rodriguez perdio para ali. O Quaresma recebe e arranca muito bem para o golo. Bom momento de futebol, mas uma infelicidade minha.

    ResponderEliminar
  6. Ganhou a equipa que marcou. Simples. O Benfica teve oportunidades suficientes para que a história do jogo fosse outra, mas nestas ocasiões, todos os comentadores, adeptos, paineleiros, etc, falam na "justiça do resultado", como se isso fosse um conceito inabalável no futebol. Caso o Benfica tivesse conseguido o empate num dos muitos lances de golo do 2º tempo, também falariam da "justiça do resultado". É sempre assim.
    houve altura em que acreditei que o Benfica ganhava , foi apenas nos primeiros 5 minutos, o único período em que o Porto tremeu. Aquele remate do Nuno Gomes mesmo no início... De resto o Porto sem jogar muito, marcou o golo numa das muitas perdas de bola do meio campo do Benfica, e controlou sempre o jogo. Isto era um jogo em que caso o Benfica não fizesse o golo primeiro, apenas podia aspirar a empatar. Tal como no ano passado.

    Uma palavra para o Camacho: Não é a jogar apenas com 2 jogadores claramente atacantes (Nuno Gomes e Rodrigues) que se ganha um jogo em que era preciso "ir para cima" desde início. Aqueles 2 centrais do Porto "estavam mesmo a pedir" 2 pontas de lança. Porque não se joga com 2 pontas de lança desde o início!? Porquê um lateral direito a jogar a extremo direito? Porque damos sempre 60 e tal minutos de avanço aos adversários, até fazer as alterações com que devíamos ter entrado em campo desde o início? Porque é que o Luís Filipe existe?

    Para quem se lembra dos 2 jogos do Porto na Luz, na primeira passagem do Camacho no Benfica, de certo não ficou espantado com a atitude borrada da equipa na 1ª parte...

    ResponderEliminar
  7. Parabéns ao Porto pelo excelente jogo táctico. Ocupou muito bem todos os espaços, pressionou alto e com muita qualidade, forçou-nos ao erro e aproveitou superiormente as opurtunidades.

    O benfica foi completamente adinamico, com uma exibição fraca, falta de organização, nervosismo, linhas demasiado fechadas e afastadas. COntra as grandes equipas ter garra e vontade não chega.

    ResponderEliminar
  8. É fácil parar este Benfica.

    O jogo do Benfica depende quase exclusivamente das arrancadas do C. Rodríguez na ala esquerda, que puxam a equipa para a frente. Apanhando um Bosingwa de boa saúde, concentrado e atento ao uruguaio, o Benfica teria de esperar por um:
    - um Maxi Pereira capaz de dar profundidade ao lado direito do ataque como fez contra o Milan e tornar a equipa mais harmoniosa. Não aconteceu!;
    - um remate de longe certeiro. Não aconteceu!;
    - um erro da defesa portista. Aconteceu!.. mas não o soubemos aproveitar;
    - um golo do Adu. Quase que acontecia!
    - etc...

    Estamos coxos! Não temos lado direito na equipa, nem hemisfério do lado direito do cérebro (deve ser aquele que afecta a fala) do presidente

    ResponderEliminar
  9. segunda feira vou ao seixal prestar provas para lateral direito e ponta de lança...de certeza que consigo lugar ou numa ou noutra...pelo menos a lateral direito consigo...aquele gajo não sabe jogar, digam o que disserem! -.-' o Benfica teria ficado melhor servido se tivesse ido buscar o João Pereira (outra vez)...ao menos deu para rir com aquela queda que o quaresma mardou, ainda mais estúpida que a do beckham...e depois veio com a velha desculpa da chuteira, pois pois o que tu queres sei eu...sacana do cigano, do "minino"

    ResponderEliminar
  10. Enormes! Todos demonstraram qualidade e garra. Dominámos o Benfica, tirando os últimos minutos em que obviamente pressionaram mais. Excelente golo do Quaresma, a dar de provar o sabor da trivela. Espero que não tenha caído mal no estômago.
    E já lá vão 7 pontos.

    ResponderEliminar
  11. Exibição fraca. Vitória justa do Porto.

    1ª parte péssima, era dar bolas ao Porto no nosso meio-campo, era os laterais a não descerem e a permitirem os contra-ataques do Tarik e do Quaresma. Enfim...
    Depois na 2ª parte fomos à procura do empate, mas como sempre nestes jogos o Helton a salvar o Porto.

    E pronto, já estamos de novo a 7 pontos. Agora é ganhar os nossos jogos e esperar os deslizes do Porto...

    ResponderEliminar
  12. Vitória óbvia e plena de classe dos Bi-Campeões, maculada apenas alguns esboços de natural reacção do Benfica nos derradeiros vinte minutos.

    A chave do desenrolar da partida esteve na postura dos visitados, que, após uma entrada positiva, demonstraram temor ante o FC Porto, que passou a comandar integralmente as operações face ao desnorte dos encarnados.

    Há a destacar que nada disto é fruto do acaso. Um enorme obrigado à mestria com que o Professor Jesualdo organizou a equipa, ao nível do que de melhor se tem visto nesta época.

    Segunda parte morna, com os Dragões a priviligiarem a contra-ofensiva, enfrentando ainda a infelicidade das lesões de Quaresma, em noite inspirada, e Meireles, genericamente abatido. Hélton foi obrigado ainda a duas intervenções de bom nível face ao ascendente final do Benfica, que, no meu entender, tem em Rodriguez e Rui Costa os seus melhores jogadores. Adu teve uma entrada relevante e Di Maria demonstrou bons dotes ao nível do mergulho, o que é pena face à qualidade que, parece-me pacífico, encerra.

    Fico com a ideia que esta partida poderia ter proporcionado momentos de maior emoção no seu final caso as equipas estivessem em condições físicas aceitáveis, o que não era certamente o caso. Diferença competitiva entre Ligas, mal crónico.

    Nota positiva para a arbitragem, que, valha a verdade, não teve a tarefa tão dificultada quanto é norma neste tipo de jogos. Há um penalty sobre o Lisandro no início da partida que, felizmente, não influiu no resultado final.

    Finalmente, muito obrigado aos grandes Portistas que deram espectáculo nas bancadas da Luz.

    Boa sorte para terça-feira,

    Viva o Campeão.

    ResponderEliminar
  13. Porto mereceu a vitória.. mais um campeonato deitado para o lixo à custa das exibições que o Benfica e o Sporting têm andado a fazer (não me digam que há muito campeonato que isso já soa a desculpas). É, no mínimo, triste ver dois jogos seguidos em que se vêm duas equipas completamente diferentes (falo do Benfica contra o Milan e agora contra o Porto). btw, acho que podem encomendar já as faixas não pelas exibições mas pela regularidade e com a pitada de sorte que têm merecido nestes jogos decisivos.

    É só a minha opinião.

    ResponderEliminar
  14. Não me vou alongar muito na análise, jogo fraco do Benfica, completamente dominado na 1ªparte. Na 2ª melhoramos, tivemos algumas oportunidades, mas sempre com um jogo muito atabalhoado... Algumas notas que já tinha referido no jogo com o Milan e que voltaram a acontecer :

    - Di Maria na direita... outra vez?
    - Adu entra muito tarde...
    - Rui Costa quer resolver tudo sozinho, anda a perder muitas bolas.

    ResponderEliminar
  15. Resultado normal de um Porto que não precisou de fazer um grande jogo contra a equipa de infantis do Benfica.

    Pensando melhor, acho que nem os infantis, nem sequer na PlayStation, tentariam marcar um golo ao Hélton do meio-campo... Enfim.

    ResponderEliminar
  16. O Porto tem uma equipa muito superior a qualquer equipa de Portugal. Uma equipa coesa, trabalhadora e eficiente. Vão ganhar este campeonato e se ganharem com dificuldades (tal como no ano passado) é culpa do Jesualdo que me parece um pouco incompetente.

    É isto que falta no Benfica e no Sporting que só querem contratar "vedetas" que depois cagam-se para o clube.

    ResponderEliminar
  17. o Benfica não é a equipa que muitos por aí pintaram. E que na realidade é uma equipa frágil e sem qualquer capacidade de resposta táctica. O único "elan" da equipa tem sido o factor sorte.

    ResponderEliminar
  18. Bolas! O "Mustangue" passou pelo David Luis que este mais parecia Um FIAT 600 ! QUE CASA!

    ResponderEliminar
  19. Num jogo que não podíamos perder, "demos o ouro ao bandido". Pecado capital. O Porto jogou qb e aproveitou bem os inúmeros erros, em especial perdas de bola inacreditáveis, a juntar às poucas oportunidades de golo flahadas de forma incrível.

    Parabéns a vocês portistas.

    ResponderEliminar
  20. Gostei do pormenor do Quaresma quando foi substituido, oferecer a camisola de jogo a uma adepta ferrenha do Benfica. Será que ela debaixo do fato treino do SLB tinha o equipamento do Porto? AHAHAHA!

    ResponderEliminar

Home - Desportugal - Blog de Notícias Desportivas