domingo, 15 de fevereiro de 2009

Liga Portuguesa: 18ª jornada - Sofrer em Grande!

Cheerleaders do Benfica antes do incio jogo na Luz com Paços de Ferreira

Na antevisão desta 18ª jornada da Liga Portuguesa certamente poucos previam grandes dificuldades para os "grandes" vencerem, tirando o Sporting que tinha uma sempre complicada visita ao Restelo. Acertado o palpite do Sporting, passou em Belém bem à "rasca" depois de ter estado a perder até poucos minutos do fim, FC Porto e Benfica estavam avisados e conscientes que não podiam vacilar, para mais, o Leixões vencia também em Braga.

O líder FC Porto subia ao relvado do Dragão duas horas antes do início do Benfica vs Paços de Ferreira e quase entregava a possibilidade de haver novo lider a sul. Não fosse Farías a quebrar a resistência do Rio Ave, o Benfica poderia ambicionar o 1º. lugar. Na Luz, já sabedores do resultado final no Dragão restava aos encarnados não perder os dragões de vista, e tal como no Restelo e Porto foi sofrer até ao último segundo para segurar os 3 pontos.

Numa disputa como há muito não se via, só o Sporting não está no pódio, porque o Leixões teima em incomodar os grandes. Foi, aliás, a equipa da semana. Era grande a pressão por ter chegado ao terceiro lugar, além de que a viagem a Braga não era a mais aconselhável para quem pretendia continuar no grupo da frente, mas um momento de infelicidade de Frechaut deitou tudo a perder. Os leixonenses, tal como os portistas, já para não falar do Nacional, caso vençam na próxima ronda, vão beneficiar do resultado do dérbi Sporting-Benfica.

Farias salvou FC Porto de novo empate

Que grande susto apanhou o FC Porto frente ao Rio Ave. Depois de ter controlado à vontade na primeira parte, em que se adiantou com um penálti de Lucho, o tricampeão viu o Rio Ave empatar com um golaço de Fábio Coentrão. E só resolveu a partida nos minutos finais.Um bis de Farías fixou o resultado em 3- 1 e acalmou as bancadas, que já temiam o quarto empate caseiro consecutivo. “El Tecla” Farías andou adormecido uma boa parte da partida, mas acordou a tempo de se tornar no homem do jogo – o argentino sofreu a faltamuito discutivel que originou o penálti convertido por Lucho e facturou a dobrar (com a cabeça e com o pé) para assegurar o primeiro triunfo caseiro do Porto em dois meses e meio.

Ninguém previa que, depois de uma bela primeira parte, o FC Porto sofresse tanto. Mesmo com o habitual pecado do desperdício na finalização, o marcador funcionou de grande penalidade (tal como com o Benfica), depois de Hulk ter feito estremecer a baliza de Paiva, guarda-redes que, já com 1-0 no marcador, parece ter defendido para lá da linha uma cabeçada de Mariano. O Rio Ave tentou jogar em todo o relvado, mas só incomodou Helton depois do intervalo. O FC Porto veio adormecido das cabinas e foi dando espaço que os vilacondenses aproveitaram. Candeias – emprestado pelos dragões – animou o flanco, onde estava agora Fernando, e o Rio Ave cresceu. O primeiro aviso foi dado por Fábio Coentrão, que acertou no poste, aproveitando um passe desastrado de Fernando.

O FC Porto já não incomodava Paiva como na primeira parte e haveria de consentir o empate, que surgiu num golaço de Fábio Coentrão – de fora da área, colocou a bola no angulo superior direito, sem hipótese para Helton (vídeo). O Dragão estremeceu e Jesualdo arriscou tudo, retirando Lisandro do descanso do banco (Rodriguez tinha saltado de lá aos 60’) e deixando apenas três homens na defensiva. O forcing acabaria por dar resultado e Farías lá conseguiu acertar com a baliza a quatro minutos do fim num cabeceamento que parece ser passivel de falta do argentino.

Em vésperas de uma semana que pode ditar muito sobre o futuro da época – visitas a Paços de Ferreira e Madrid, e recepção ao Sporting –, o FC Porto conseguiu evitar o pior e segurar a liderança. Mas a exibição foi intermitente e não deixou Jesualdo muito tranquilo. O técnico levou mesmo as mãos à cabeça quando Coentrão empatou, mas bateu palmas efusivas após o apito final de Elmano Santos – tal como os quase 35 mil que estavam nas bancadas, também ele suspirou de alívio depois de apanhar um valente susto! É que poderia ter sido o quarto jogo sem vencer no Dragão.

Reyes rematava frente ao Pacos de Ferreira

O Benfica venceu o Paços de Ferreira por 3-2, somando o nono jogo seguido sem perder, estabelecendo o seu recorde esta época. Depois de 68 minutos de sonolência, assistiu- se a um final de jogo electrizante, com cinco golos apontados, a fazer lembrar o encontro da primeira volta, que terminara com a vitória do Benfica na Mata Real por 3-4. A equipa da Luz começou cheia de vontade de marcar cedo. O Benfica nem deixava sair o Paços de Ferreira do seu meio-campo. Aos 12’ Luisão e Aimar quase marcaram, mas esse foi o canto do cisne, ou melhor, da águia, no primeiro tempo. Um lance que poderia ter animado os encarnados pareceu ter o efeito contrário...

Até ao intervalo não se jogou futebol. Aimar e Reyes, os que poderiam desequilibrar no Benfica, não conseguiam soltar-se das marcações e Cardozo nem isso parecia tentar, entregando- se à má sorte de estar emparedado entre Ricardo e Kelly, as torres centrais do adversário. Lutava-se muito, mas mais nada. Os jogadores do Paços de Ferreira também não estavam interessados em atacar e aproveitavam para queimar o máximo de tempo possível, com algumas lesões que não pareceram nada graves. Tirando a de Cristiano, que foi obrigado a sair aos 27’ depois de ter sofrido um toque de David Luiz...

Di Maria festejava golo

O início da segunda parte não prometia nada de bom. Aos 47’ já estava Pedrinha estendido no relvado. E lá entrou a maca em campo pela quarta vez... Por outro lado, a desinspiração encarnada continuava, ficando mais uma vez demonstrando que a equipa quase só consegue criar perigo de bola parada. A 21 minutos dos 90 estavam muitos dos adeptos presentes na Luz a pensar em Mantorras (começou a aquecer aos 60’) quando Cássio decidiu abrir a capoeira e oferecer o golo a Cardozo. Já não foi preciso apelar ao misticismo, fazendo entrar o angolano (viria a jogar, mas apenas nos últimos três minutos).

Aos 73 minutos Ruben Amorim aumentou a contagem com um golão (video). Mas aquilo que prometia ser um final de jogo tranquilo para o Benfica transformou-se num quarto-de-hora de aflição. Rui Miguel reduziu, Di María voltou a aumentar com um golo de levantar o estádio (vídeo), mas Chico Silva fez o 2-3 no segundo minuto de descontos. E no último lance do desafio Kelly atirou ao poste! E os adeptos do Benfica suspiraram de alívio.

Postiga celebrava golo da vitoria

O Sporting voltou às vitórias na Liga, no Restelo, depois de dois empates e uma derrota. E Paulo Bento confirmou que não passa quatro jogos sem ganhar, igualando e colocando sob pressão o Benfica antes do dérbi do próximo sábado. O Belenenses deu 45 minutos de avanço, depois ainda marcou primeiro... mas acabou derrotado, por 1-2, castigado pela revolta de Vukcevic após as entradas de Yannick e Postiga. Tudo o indicava, mas, devido a um “ataque” de febre durante a noite anterior, ainda não foi sábado que João Moutinho bateu o recorde de jogos consecutivos de leão ao peito, o qual havia igualado ao realizar o 95.º ante o Braga.

O capitão leonino, que estava emrisco nos amarelos, cedeu o lugar a Adrien e ficou assim disponível para o dérbi. De resto, Rui Patrício, que ontem celebrou 21 anos, foi baixa por lesão e Abel por opção. Já Liedson voltou ao onze leonino e Jaime Pacheco, talvez receoso, apostou no brasileiro Arroz como terceiro central. E a verdade é que foi assim que conseguiu manter os leões, que entraram bem melhor no jogo, longe da baliza de Julio César. As excepções foram alguns livres e cantos bombeados, regra geral, por Miguel Veloso para a área, mas com a ineficácia já reconhecida por Paulo Bento.

De bola corrida, o melhor que o Sporting conseguiu foram remates de longe. Enquanto o Belenenses não existia ofensivamente, aos leões parecia faltar um maior acompanhamento de Izmailov e Vukcevic a Adrien. O miúdo assumiu o papel de Moutinho e saiu-se bem. Para a segunda parte, Pacheco trocou o central Arroz pelo avançado Marcelo e os azuis começaram a discutir o jogo. E a verdade é que foram bafejados pela sorte, quando Saulo fez gato sapato de Polga e o recém-entrado Marcelo (em fora de jogo?) Abriu o marcador. Paulo Bento chamou Yannick, trocou Derlei por Postiga, passou a jogar com três avançados e acertou! É que num lance em que intervieram os dois recémentrados, Vukcevic empatou. E logo a seguir, o genial montenegrino serviu Postiga para a reviravolta final.

Num dos mais aguardados encontros desta jornada, o Braga, quinto classificado à entrada para esta ronda, recebeu o Leixões, que estava no terceiro posto. Numa partida bem disputada, com futebol de qualidade e rico em termos tácticos, os comandados de Jorge Jesus dominaram os acontecimentos até à zona de finalização, mas os de Matosinhos estiveram muito certos na defesa e chegaram à vantagem aos 79 minutos, num lance de infelicidade de Frechaut, que cabeceou para a própria baliza, batendo Eduardo. Estava feito o 0-1 final para os visitantes. A pergunta fica no ar. Até onde poderá ir este Leixões?

O Marítimo ganhou ao Estrela da Amadora, nos Barreiros, por 1-0 e tambén no Funchal o Nacional goleou o Vitória de Guimarães por 3-0 com brasileiro Nené a bisar e a comandar destacado a tabela dos melhores marcadores. Na Figueira da Foz a Naval não segurou a vantagem de 2 golos e o Trofense acabou por aproveitar e levar um ponto.

Resultados da 18ª jornada da Liga Portuguesa - Liga Sagres 2008/2009

Benfica - Paços Ferreira, 3-2 (Cardozo 69', Ruben Amorim 73', Di María 87'; Ferreira 75', Chico Silva 93')
Trofense - Naval, 2-2 (Valdomiro 32', Rui Borges 57'; Diego 21', Marinho 30')
Belenenses - Sporting, 1-2 (Marcelo 52'; Vukcevic 75', Postiga 79')
Sp. Braga - Leixões, 0-1 (Frechaut 80' g.p.)
Marítimo - Estrela da Amadora, 1-0 (Ytalo 49')
Nacional - Vitória Guimarães, 3-0 (Nené 61 e 63', Ruben Micael 75)
FC Porto - Rio Ave, 3-1 (Lucho 37' gp, Farías 86' e 89'; Fábio Coentrão 72')
Vitória Setúbal - Académica, 2ºfeira

Classificação da Liga Portuguesa (Liga Sagres) 2008/2009

Classificacao da Liga Portuguesa

Vídeos

Benfica 3-2 Paços Ferreira
Oscar Cardozo 69'
Ruben Amorim 73'
Ferreira 75'
Di María 87'
Chico Silva 93'




FC Porto 3-1 Rio Ave
Lucho 37'
Fábio Coentrão 72'
Farías 86' e 89'



Belenenses 1-2 Sporting
Marcelo 52'
Vukcevic 75'
Postiga 79'


Add to Technorati Favorites

Fotos: AP + Álvaro Isidoro

Página Inicial

5 comentários:

  1. Sou Sportinguista e estou convencido que o campeonato está entregue desde já ao Porto. Basta analisar e nem precisam de entender muito de futebol para ver que é ajudado jogo apos jogo.

    ResponderEliminar
  2. Que se mantenha pelo menos as expectativas elevadas sobre quem levará o titulo.

    Grandes golos do Coentrão,Amorin e Di Maria.

    ResponderEliminar
  3. Fica a saber quais são as melhores casas e quais os melhores jogos para apostar. Faz as tuas apostas em Apostamos.pt.vu <--- Também podes participar!

    ResponderEliminar
  4. Amigo, apoie à divulgação, ajude-nos a ajudar quem precisa.

    http://www.vilarealsport.com/2009/02/ajude-o-ernesto.html

    Obrigado

    ResponderEliminar

Home - Desportugal - Blog de Notícias Desportivas