domingo, 17 de junho de 2007

Portugal goleia Israel por 4-0 mas objectivo Euro 2007 falhado

Resta a Portugal um possível jogo para chegar aos Jogos Olimpícos

A Selecção Portuguesa sub-21 guardou todo o poder de fogo para o último jogo do grupo A da fase final do campeonato da Europa goleando a fraquinha Israel por 4-0 , resultado que deixa a equipa de Couceiro fora das meias-finais da competição em virtude do empate verificado entre a Bélgica e Holanda (2-2) .

Mais uma vez Portugal deixa escapar a oportunidade de vencer a única competição dos escalões mais jovens que nos falta conquistar , embora e como quase sempre com equipas talentosas e esta também não fugiu à regra , mas reagiu tarde de mais .

Como se esperava, o seleccionador português José Couceiro, que assistiu ao encontro na bancada, após a expulsão no desafio anterior ante os holandeses, introduziu duas alterações na equipa inicial que começou o esse encontro. Assim, fez entrar João Pereira para o lado direito da defesa, em vez de Amoreirinha, enquanto o avançado Ricardo Vaz Té, recuperado da lesão que o afastou dos dois primeiros desafios, surgiu no lugar do médio Ruben Amorim.

Ciente de que apenas uma vitória servia para poder ainda seguir em frente, Portugal fez valer o esquema claramente atacante gizado por Couceiro nesta partida e, fruto da enorme percentagem de posse de bola na fase inicial, ganhou três cantos logo nos primeiros cinco minutos. No entanto, o primeiro lance de perigo pertenceu aos israelitas, estavam decorridos 17 minutos. Idan Srur apontou um livre e perante a tentativa de desvio de um companheiro, que não aconteceu, Paulo Ribeiro afastou com dificuldade.

A resposta lusitana chegou três minutos volvidos. João Moutinho entrou pela área adversária adentro, foi à linha e colocou a bola com conta, peso e medida na cabeça de Vaz Té. No entanto, o avançado do Bolton , que começou a partida descaído para o lado esquerdo, atirou de cabeça por cima da barra quando estava sozinho no coração da área. Israel tentava surpreender em rápidos contra-ataques e num deles obrigou o capitão Hugo Almeida a fazer falta e a ver o segundo cartão amarelo na prova.

Srur tentou novamente a sorte de livre só que desta vez o guarda-redes português defendeu sem qualquer problema. Aos 34 minutos, igualmente de livre, após toque curto de Moutinho, Manuel da Costa rematou forte, mas Tom Al Madon estirou-se e desviou para canto. A pressão lusitana acentuou-se e Nani deixou novamente o aviso quando atirou ligeiramente por cima da baliza num espectacular pontapé de bicicleta dentro da área.

A nova contratação do Manchester United combinou depois, aos 37 minutos, com Manuel Fernandes, perto da grande área, e o médio português desferiu um potente e colocado remate sem hipótese para Al Madon, fazendo o esférico roçar ainda na parte inferior da trave antes de entrar na baliza. No outro jogo, em Heerenveen, exactamente na mesma altura, a Holanda dava a volta ao marcador e adiantava-se perante a Bélgica, por 2-1. Portugal precisava então de vencer por mais de um golo de diferença e voltou a festejar ainda antes do intervalo.

João Pereira cruzou largo da direita e Vaz Té, solto na área, assinalou a estreia na competição com a obtenção do segundo golo da selecção das quinas, correspondendo de cabeça à solicitação do lateral. Com a Bélgica a perder, a equipa de Couceiro igualava na classificação os “jovens diabos”, mas a diferença de golos era-lhe favorável e isso mesmo foi visível no punho cerrado e sorriso do técnico depois do tento conseguido por Vaz Té.

O desfecho não interessava a Israel e Levy trocou o médio Rafaelov pelo avançado Omer Peretz. Contudo, Portugal voltou a marcar e por duas vezes. Quatro minutos após o regresso dos balneários, Miguel Veloso marcou um livre junto à linha lateral do lado direito, aparentemente inofensivo. A bola descreveu um arco e entrou sem que ninguém lhe tivesse tocado. Logo a seguir, Nani rematou de fora da área e bateu novamente o guarda-redes israelita.

A partir deste momento, com tudo decido perante a inofensiva equipa de Israel, os ouvidos portugueses colaram-se no encontro de Heerenveen. Todavia, a formação das quinas sofreu dois rudes golpes sensivelmente no mesmo momento, pois os belgas chegaram ao empate e Nani saiu lesionado no tornozelo esquerdo, aos 68 minutos, após falta duríssima de Dani Bondarv.

A desilusão tomou então conta da selecção portuguesa que terminou o agrupamento no terceiro lugar, mas pode ainda chegar aos Jogos Olimpícos de Pequim, a disputar em 2008. Para isso precisa que a Inglaterra, que compete nas Olimpíadas integrada no Reino Unido, consiga no domingo juntar-se à Sérvia nas formações semifinalistas do Grupo B. O eventual “play-off” está marcado para quinta-feira.

Resultados do Grupo A do Campeonato da Europa Sub 21
1.ª jornada
Holanda - Israel, 1-0
Portugal - Bélgica, 0-0

2.ª jornada
Israel - Bélgica, 0-1
Holanda - Portugal, 2-1

3.ª jornada
Israel - Portugal, 0-4
Bélgica - Holanda, 2-2

Classificação final
1. Holanda 7 pontos
2. Bélgica 5 pontos
3. Portugal 4 pontos
4. Israel 0 pontos
(Holanda e Bélgica garantiram o apuramento para as meias-finais e Jogos Olímpicos de Pequim-2008)

Vídeos

Portugal 4-0 Israel
Manuel Fernandes 37'
Vaz Té 45'
Miguel Veloso 48'
Nani 50'


Holanda 2-2 Bélgica
Kevin Mirallas 9´
Maceo Rigters 13´
Royston Drenthe 37´
Pocognoli 70´


Foto: Reuters

Página Inicial

12 comentários:

  1. Um excelente resultado na primeira exibição decente de Portugal. O adversário era fraquinho, muito fraquinho mas não deixa de ser um bom resultado. O Couceiro que não tente justificar este falhanço com os lobbys e com a combinação do resultado do Holanda-Bélgica, porque a culpa é dele, que jogou para o empate nos dois primeiros jogos e de alguns jogadores que andaram por lá a passear.

    Salvam-se o Veloso e o Da Costa pela regularidade, o João Pereira pelo que fez na 2ª parte do jogo com a Holanda e hoje e o Manuel Fernandes, o Vaz Té e até o Nani pelo jogo de hoje.

    Agora, que a Inglaterra vença para termos hipóteses de ir aos JO's.

    ResponderEliminar
  2. portugal jogou bem.. com mais atitude e ambição, mas há q dize-lo, israel é fraquinha.. fraquiiiinha.

    ResponderEliminar
  3. É triste, estes rapazes não mereciam. Não mereciam a eliminação, não mereciam o escândalo feito à volta deles e muito menos mereciam ter o Couceiro como treinador.

    Este foi um jogo "à Portugal", como há muito não se via. Tirando uma ou outra falha de concentração, a nossa exibição roçou a perfeição. Depois de esta noite, podiamos saír de cabeça erguida da competição, mas os nossos tristes dirigentes não quiseram conservar o orgulho destes jogadores.

    Ainda para mais, a Bélgica e a Holanda acabaram por empatar, o que dá um twist irónico, quase de gozo, a tudo.

    Homem do jogo: Manuel Fernandes.

    ps: o 2º golo da Bélgica... No comments

    ResponderEliminar
  4. Novamente Portugal perdeu a oportunidade de seguir em frente. Exactamente igual ao ano passado. Temos pena. Que seja diferente numa proxima competiçao...

    ResponderEliminar
  5. SANDRO TAVARES17 junho, 2007 05:08

    Pois é, passa mais uma competição, Portugal fica-se pela primeira barreira, e denegriu-se mais um pouco a nossa imagem para a Europa, e o mundo, do futebol. Enquanto não acabar a teoria do coitadinho, vamos ser sempre mal vistos por essa Europa fora. Os complots, os lobbies, os arranjinhos, fartam aos olhos do povo, mas são um regalo aos olhos dos responsáveis federativos. Não só desresponsabilizam jogadores e treinador como o Madaíl escusa de encontrar culpados e analisar relatórios Boronha para tomar uma decisão difícil e que chamaria responsabilidade.

    Assim, Portugal é eliminado porque há um lobby nórdico na UEFA e não se fala mais nisso. No mês que vem, cheira-me que o Couceiro lá estará, no Canadá, no mundial sub-20... a descobrir novos lobbies que tramam Portugal por esse mundo fora...

    ResponderEliminar
  6. Bélgica e Holanda foram as equipas mais regulares..é justa a passagem de ambas ás meias-finais..

    Não creio que haja um "lobbie nórdico" ou como lhe queiram chamar...é mais uma desculpa á português. Acho que o Rui Caçador foi muito arrogante ao dizer que isto acontecia porque as selecções não eram bem sucedidas no escalão sénior..pois sinceramente as arbitragens foram isentas, talvez no Holanda-Portugal houvesse uma ligeira diferença de critérios devido á pressão da federação holandesa..estavam a jogar no seu país..etc..etc..porque a Béliga foi muito mais prejudicada contra Israel..quem viu esse jogo sabe do que eu estou a falar..os árbitros demonstraram fraca qualidade é verdade e foram muito rigorosos..mas não acho que tenha havido a "roubalheira monumental" que justificasse as declarações do Couceiro..Caçador..e Madaíl..

    E isto era "apenas" um sub-21. Tivemos sorte em não perder contra a Bélgica..contra a Holanda revelamos muita imaturidade..e reparem que no ultimo jogo contra Israel nós é que estavamos com a motivação toda, eles ja tinha saído da competição, estavam fracos fisicamente, nós fizemos o 3-0 e 4-0 em basicamente 5 minutos..isso deitou a baixo toda réstia de motivação que eles tinham....e isso fez com que jogássemos "á Brasil" deixando a sensação que somos uma equipa melhor que a Belgica ou Holanda..que na minha opinião não é verdade..podemos ter alguns jogadores (Nani,M.Fernandes) de um patamar superior...mas como equipa deixamos muito mas mesmo muito a desejar...

    Acho que é a análise mas realista..não sei..

    ResponderEliminar
  7. ANDRÉ PINHEIRO17 junho, 2007 05:09

    O jogo de hoje: Normal.

    Israel é fraquito. Comparado connosco. Porque a Holanda e a Bélgica viram-se de aflitos para lhes ganharem 1-0.

    Portugal jogou bem na última meia-hora do jogo com a Holanda e no jogo com Israel. Curiosamente os períodos em que o Couceiro não esteve no banco.

    E nem a Bélgica empatou 0-0 com a Holanda nem o árbitro húngaro nos tramou. Que pena...

    ResponderEliminar
  8. GABRIEL MARQUES17 junho, 2007 05:11

    Sim, Israel já estava eliminado.

    Sim, Portugal estava super motivado.

    Mas a verdade é que não falhámos, mas fracassámos frente a Belgas e Holandeses. E tínhamos equipa para muito mais, conforme ficou evidente.

    Jogar com 4 trincos e Amoreirinha contra a Holanda foi suicídio.

    Hugo Almeida a Extremo, Nani a número 10 ou a segundo ponta de Lança, enfim. Couceiro inventou, ousou, e falhou. Redondamente.

    Se tivesse ganho hoje era herói. Mas não ganhou, falhou e duas vezes. Como tinha feito com o Belenenses, que pôs na segunda Liga, e que graças ao Mateus do Gil Vicente acabou pro terminar esta época em quinto.

    A meu ver não reconheço valor nenhum em Couceiro, tudo o que fez até hoje foi mau. Excepto um par de meses no Porto, onde o díficil parece ser falhar, mas faltou-lhe a mesma humildade que Mourinho chegou a ter ao aceitar ser adjunto de um treinador mais experiente.

    ResponderEliminar
  9. MIGUEL ESTEVES17 junho, 2007 05:12

    Quer a selecção A quer as camadas mais jovens, a maior parte das vezes só começam a jogar futebol quando têm de correr atrás do prejuízo, essa é a grande realidade que distingue as selecções excepcionais das selecção boas ou as +/-, por outras palavras, as selecções Nacionais de Portugal não são excepcionais mas têm potêncial para o serem como se viu hoje.

    ResponderEliminar
  10. Foram demasiados equívocos numa equipa que se apresentou mal preparada. É preciso trabalhar mais para que não voltemos a ter a habitual decepção no futuro.

    ResponderEliminar
  11. O Miguel Veloso, simplesmente o melhor jogador em campo durante todos os jogos da selecção sub-21! Até quando Portugal está a perder ele não desanima, levanta a cabeça e toma lá que cá vai disto! Já são duas bombas vindas daqueles pés.

    ResponderEliminar
  12. Mais uma vez, grandes jogadores vindos de toda a Europa e dos melhores clubes de Portugal; jogadores que valem 25 milhões, uma equipa que já vem sendo "equipa" a algum tempo, mas, mais uma vez ficamos de fora. Agora resta ver como vai ser para Pequim se lá chegarmos .

    ResponderEliminar

Home - Desportugal - Blog de Notícias Desportivas