quarta-feira, 7 de março de 2007

FC Porto despede-se da Champions após derrota com Chelsea por 2-1 (vídeo)

FC Porto sofreu dois golos infantis e sai da prova milionária

O FC Porto ficou pelo caminho da Liga dos Campeões ao sair derrotado em Stamford Brigde por 2-1 frente ao Chelsea , com dois golos sofridos por menores de 16 anos num jogo que prometia ser de primeira e foi de uma valente seca .
Um erro monumental do guarda-redes Helton abriu caminho à eliminação do FC Porto ante o Chelsea, de José Mourinho .

A formação inglesa, apesar da vantagem na eliminatória — o "nulo" bastava —, entrou forte ofensivamente na partida e, logo aos 59 segundos, o ucraniano Shevchenko rematou por cima da baliza de Helton, no primeiro aviso aos portistas. O FC Porto ripostou aos 11 minutos, mas seria aos 15 que a máquina "azul-e-branco" mostraria a "frieza" da sua engenharia: Pepe "roubou" uma bola na sua zona de intervenção, Lisandro colocou em Lucho e este, com um passe de magia, isolou Quaresma... até aos festejos do golo inaugural, o seu primeiro nesta edição da Champions.

O Blues reagiam e aos 25 minutos Drogba atirou por cima e, aos 30 e 31, o Chelsea esteve novamente perto de marcar, mas Ricardo Carvalho não acertou na bola, primeiro, e Lampard, depois, revelou enorme apatia, após passe perfeito de Shevchenko já dentro da área.

O FC Porto com uma exibição de enorme qualidade, forte na defesa e rápido nas saídas para o ataque, aguentou bem a pressão dos ingleses após o golo de Quaresma (Ricardo Carvalho, ex-"dragão", até deu a ajuda ao colocar o portista em jogo), mas o holandês Robben aos 45 minutos, voltou a ameaçar, num remate em arco, ligeiramente ao lado.

Ao intervalo, Mourinho — que nem chegou a ver os últimos minutos da primeira parte, tendo recolhido mais cedo aos balneários — retirou o francês Makelele e chamou o nigeriano Obi Mikel, com a intenção de reforçar a zona mais ofensiva do Chelsea. Sem "mexidas", o FC Porto viria porém a sentir o "fogo" de Stamford Bridge, logo aos 48 minutos: o holandês Robben num remate forte e de longe, contou com o contributo, o grande contributo, do guarda-redes brasileiro Helton, para empatar a eliminatória.

Jesualdo Ferreira não perdeu tempo e, aos 56 minutos, regressou ao habitual 4x3x3, com as entradas de Adriano e Ibson, para os lugares de Cech e Meireles. Mourinho respondeu com a entrada do português Paulo Ferreira, aos 65 minutos (o guarda-redes luso Hilário também estava no banco), em detrimento do francês Diarra, já "amarelado", mas o FC Porto continuou a dominar e a procurar sempre o golo , mas sem incisão . O Chelsea no entanto, exímio nos lances de bola parada, poderia ter aumentado a contagem aos 70 minutos, quando, na sequência de um livre da esquerda por Lampard, Helton voltou a falhar e Ricardo Carvalho aproveitou para cabecear ligeiramente por cima. Três minutos depois, o frenesim voltou à área do FC Porto, com Helton a falhar de novo e Drogba e Ballack a não terem capacidade para rematar à baliza com eficiência.

A equipa inglesa, apesar da boa cobertura dos portugueses, ameaçava cada vez mais e, aos 79 minutos, numa jogada simples, passou para a frente na eliminatória e decidiu a partida: lançamento comprido, Drogba de cabeça para Shevchenko, este para o alemão Ballack que, sozinho na área, rematou com o pé esquerdo para o fundo das redes do desamparado Helton .

Em conclusão foi uma vitória estranha de um Chelsea que parecia irreconhecível , jogando lento , sem ideias e perante um FC Porto que depois do golo inical, se retraíu em demasia nunca conseguindo chegar com perigo ao último reduto dos blues . Fica a sensação que os portistas poderiam ter silenciado mais ainda Stamford Bridge ( nem parecia uma estádio inglês ) e eliminado o Chelsea . Mas erros defensivos pagam-se caro e a factura saiu ao FC Porto que terá agora a Liga Portuguesa como principal objectivo .

Chelsea 2-1 FC Porto
Quaresma 15´
Robben 48'
Ballack 79'


Foto: AP

Página Inicial

11 comentários:

  1. Estou bastante triste, mas o Porto não teve fire-power nem elementos capazes para depois disso tentar o golo. Temos uma grande lacuna na frente de ataque com a falta de um municiador de jogo e um atacante de peso, como sempre tivemos com Kostadinov, ou Domingos, ou Jardel, ou McCarthy, ou outro.

    Estou bastante triste porque este resultado não exprime o que o Porto podia ter feito, não fosse aquele erro do Helton. Estou triste porque não me conformo com o brilharete que podíamos ter feito. E podíamos.

    Podíamos. Podíamos.

    Somos o Porto, o FC Porto, equipa orgulhosa, batemo-nos. Ganhou um, o adversário. Parabéns ao Chelsea e que Mourinho ganhe o troféu.

    ResponderEliminar
  2. Helton mostrou uma intranquilidade tremenda, a fazer recordar Moretto e o jogo ficou decidido.

    ResponderEliminar
  3. O Porto hoje não ganhou porque faltou ambição, vontade, e risco perante o pior Chelsea desde que Mourinho está no comando .

    ResponderEliminar
  4. Quaresma: Excelente golo e depois????

    Helton : Porquê tanto nervosismo????

    Robben : O melhor homem em campo, um dos melhores do mundo sem dúvida...

    ResponderEliminar
  5. O Porto deixou-se adormecer, e parece-me que essa equipa ainda não o tem talento suficiente para mandar num jogo da alto nivel os 90 minutos, mas ha potencial ...

    Boa sorte ao Chelsea ! Agora que o Porto concentra-se no campeonato, e que continua a trabalhar para o ano passar os oitavos.

    PS: Foi bonito ouvir os adeptos portistas ensinaram aos ingleses o que é apoiar a sua equipa .. Mourinho no banco, deve ter pensado assim "ai que saudades ..."

    ResponderEliminar
  6. FÁBIO GUERREIRO07 março, 2007 05:10

    o Porto não é muito inferior a este Chelsea e com mais calma, mais experiência, e sobretudo ais sorte teria eliminado o gigante inglês. Notou-se claramente a falta de calma do Porto em momentos chaves do encontro, assim como também a juventude da equipa. Parece despropositado falar de sorte uma vez que o Chelsea teve as melhores oportunidades, mas a verdade é que faltou sorte no 1º jogo, onde só podia e devia haver um vencedor, faltou sorte em momentos chave do jogo (Helton ter sofrido um frango logo neste jogo e naquele momento), mas é assim o futebol, a sorte está quase sempre do lado daqueles que menos a procuram, ou daquueles que menos precisam dela.

    Quero também deixar umas palavras ao Chelsea, não ofensivas, mas realistas: Das duas uma, ou o Porto é uma das melhores equipas da europa, ou então este Chelsea não vai muito mais longe. Acho que deu para perceber o que eu quis dizer.

    ResponderEliminar
  7. o Chelsea com mais uma exibição fraquinha como muitas que vem fazendo ( eu vejo quase todos os jogos do campeonato inglês), lá passou este Porto que tinha tudo para seguir em frente.
    Com o plantel que tem tinha obrigação de jogar mais e melhor, mas Mourinho quer as coisas seguras que nem um banco suiço.
    Já no Dragão foi assim e hoje assim foi.

    Mourinho faz-me lembrar a aranha que pacientemente espera que o adversário se embrenhe na sua teia.
    Neste jogo até o Ti Abromo se entediou.

    ResponderEliminar
  8. césar fernandes07 março, 2007 05:17

    O Porto so teve aquela oprtunidade de golo,e foi golo quaresma e de resto passou o jogo todo a jogar em contra ataque

    com treinadores COBARDES como o jesualdo nao podiamos ir longe na liga campeoes

    ResponderEliminar
  9. Nao é por causa de um churasco que Helton deixa de ser um excelente GK.

    Quando um jogador de campo nao esta em forma nao se vê muito, mas um guarda redes vê-se logo.

    Eu aceito erros, os jogadores de futebol nao sao maquinas e nao me esqueço tambem do que Helton já fez para o Porto...

    ResponderEliminar
  10. Parabéns ao Porto, apesar da derrota está de parabéns por tudo o que fez nestas duas mãos e na fase de grupos.

    ResponderEliminar
  11. O Porto perde a vantagem apenas devido a um frango e perde o jogo no momento em que o Jesualdo destrói o meio campo.

    ResponderEliminar

Home - Desportugal - Blog de Notícias Desportivas